Um Crime Americano

Um Crime Americano

Atualmente acompanhamos pelas manchetes muitos casos de pessoas que são mantidas em cativeiro sendo molestadas e torturadas, especialmente mulheres e pré-adolescentes. E um desses casos comentado até hoje, apesar das mais de quatro décadas já passadas, é o da garota Sylvia Marie Likens. E é sobre o acontecimento chocante envolvendo Sylvia que o diretor Tommy O’Haver (que tem “Uma Garota Encantada” como seu trabalho anterior) desenvolve “Um Crime Americano”, ao qual é responsável pela direção e roteiro também escrito por Irene Turner. Ainda que lançado diretamente para a tevê em maio de 2008 pela First Look International, “Um Crime Americano” não passou despercebido.

O retrato será mais doloroso se você não se propuser a pesquisar sobre ele antes de assistir ao filme de O´Haver, que centra na adolescência de Sylvia (Ellen Page) e sua irmã Jennifer (Hayley McFarland). Filhas de um casal que sobrevive através do circo, elas são deixadas pelo pai Lester (Nick Searcy) aos cuidados de Gertrude Baniszewski (Catherine Keener, indicada recentemente ao Globo de Ouro na categoria de melhor atriz por mini-série ou filme televisivo) por vinte dólares semanais. Bem religiosa e totalmente desequilibrada, não consegue controlar os seus seis filhos e muito menos ter um relacionamento decente com o jovem Andy (James Franco). E não demora para Gertrude punir a mais velha das duas irmãs em sua responsabilidade, Sylvia, por coisas que ela não cometeu. E estes castigos cada vez mais constantes e brutais são insuportáveis de serem observados.

Junto a esta ação, passada em Indianópolis (local onde Tommy O’Haver viveu a sua infância), são acrescentadas vários depoimentos dentro de um tribunal que se espelham no que de fato foi declarado por vários das pessoas interrogadas e envolvidas neste caso. E esta montagem faz com que a indignação entre aqueles que contribuiram nesta tortura de Sylvia ou os que se calaram perante seu sofrimento seja ainda maior, assim como o ato final do longa. Um filme de tamanha tristeza e que nos deixa a par de um acontecimento real repetidas das mais diversas formas por todo o mundo não precisava recorrer a um epílogo tão enganador ou mesmo constrangedor. Mas vale ficar atento ao filme “The Girl Next Door”. Produzido no mesmo ano de “Um Crime Americano”, a adaptação do livro de Jack Ketchum, que se inspirou inteiramente no caso de Sylvia Likens, está causando grande impacto entre aqueles que o vê, julgando ser uma experiência de tamanha brutalidade que é difícil usá-la como sugestão para o público.

Título Original: An American Crime
Ano de Produção: 2007
Direção: Tommy O’Haver
Elenco: Ellen Page, Catherine Keener, Hayley McFarland, Nick Searcy, Romy Rosemont, Ari Graynor, Scout Taylor-Compton, Tristan Jarred, Hannah Leigh Dworkin, Carlie Westerman, Jeremy Sumpter, James Franco, Brian Geraghty, Bradley Whitford e Michael O’Keefe.
Nota: 6.0

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

9 Comentários em Um Crime Americano

  1. Até tive oportunidade de ver, mas o tema não me agrada tanto e já tinha escutado péssimos comentários a respeito do filme. A presença da Page e da Keener é muito interessante e me deixa curioso, mas acho que verei só se passar na TV algum dia…

  2. Assisti recentemente esse filme que traz um tema forte e delixcado de contar, mas achei a história muito exagerada. Sei que foi baseado em fatos reais e o que me intriga é saber se os fatos ocorreram exatamente dessa forma? A proveitaram o reflexo deixado por Ellen Page após Juno mas nesse filme ela se mostra muito desinteressante. Como relato até que funciona mas como cinema, achei meio forçadinho.

  3. Vinícius, “Um Crime Americano” não é ruim e é um longa que estou recomendando para que todos assistam. Eu sugiro que você pegue em DVD antes mesmo de sua exibição pela tevê.

    Denis, já havia recebido a novidade, mas estive muito ocupado nesses últimos dias. Logo atualizarei meu blogroll e relaciono o seu endereço, assim como também visitá-lo. Abraços.

    Marcelo, concordo com você. É um filme com um relato muito oportuno, mas como cinema comete muitos facilos e forçação de barra. Mas até que gostei de Ellen Page, ainda que a sua performance se anule da metade para o final quando não passa de um pequeno objeto de cena.

  4. Olá, Alex! Tudo bem?

    Como já sabe, ainda não vi. Mas espero poder ver logo, por causa de Catherine Kenner, que parece estar ótima e pela Ellen Page, que parece estar “sofrendo” muito no filme. rs.

    Beijos e tudo de bom! ;)

  5. Kau, não é fraquíssimo, mas a Keener arrebenta! Abraços.

    Mayara, tudo. E bota sofrimento para a Ellen Page neste filme. Você ficará barbarizada com os horrores que sua personagem passa. Beijos!

  6. O Final foi decepcionante e inintendível. Um filme denso, forme, com temática ainda atual, que se desenrola com consistência, mas que tem um fim que não lhe faz jus.

  7. Cabeleira, é bom poder compartilhar uma mesma queixa com os outros, especialmente quando se diz respeito ao desastroso terceiro ato de “Um Crime Americano”.

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: