Skip to content

Resenha Crítica | Há Tanto Tempo Que Te Amo (2008)

Há Tanto Tempo que te AmoKristin Scott Thomas está entre aquelas que são as melhores e mais belas atrizes em atividade. Mas esta extraordinária atriz britânica, que confessa ter iniciado a sua carreira com o pé esquerdo (“Sob o Luar da Riviera”, dirigido por Prince, é o seu primeiro filme), parece ter suas interpretações ignoradas pelo pouca repercussão que seus trabalhos apresentam. E essa falta de atenção se aplica no seu desempenho em “Há Tanto Tempo Que Te Amo”, o melhor da sua carreira. E isto vindo desta magnífica dama que esteve tão bem em “Quatro Casamentos e Um Funeral”, “O Paciente Inglês”, “Assassinato em Gosford Park”, “De Bico Calado” ou “Tempo de Recomeçar” definitivamente não é pouco. Como Juliette Fontaine, Kristin Scott Thomas, antes considerada como uma entre as cinco indicadas ao Oscar 2009 na categoria de melhor performance feminina principal, deixa quase todas as concorrentes pela estatueta numa escala bem abaixo de sua magnitude.

Em seu primeiro longa metragem, Philippe Claudel constrói uma história dolorosa. O centro são as irmãs Juliette (Scott Thomas) e Léa (Elsa Zylberstein, de “Modigliani – A Paixão pela Vida” e “A Pequena Jerusalém”). O prólogo já nos mostra o porquê dessas duas irmãs se reencontrarem  somente após um intervalo de quinze anos. É porque Juliette foi presa por cometer um crime pelo qual não deve se recuperar pelo resto de sua existência. E vai uma dica: não procure por detalhes sobre o drama – o crime em questão leva um tempo a ser anunciado e ele acontece de forma impactante. E embora Léa e o seu marido Luc (Serge Hazanavicius) já saibam sobre isto é um enigma as razões que a levaram a tal. Ainda assim, o casal hospeda Juliette em sua casa, mas com comportamentos suspeitos vindo de Luc. Mas Juliette parece pagar ainda mais pelo que fez. Conquistar o seu espaço, tendo um emprego, amigos e um lar será uma tarefa árdua por causa do seu passado.

Claudel insiste em permanecer oculto a informação que Léa sempre persegue sobre as motivações de sua irmã mais velha, mas “Há Tanto Tempo Que Te Amo” é um filme sobre redenção. O ato que Juliette cometeu a princípio é imperdoável, só que o seu silêncio é justificável. E não se pode deixar de destacar Elsa Zylberstein, que é um bom contrapeso da protagonista. Enquanto Juliette é uma mulher mais deprimida, Léa completa a alma do filme e o equilibra respondendo por várias explosões de sentimentos. E sequências de partir o coração não faltam em “Há Tanto Tempo Que Te Amo”, especialmente na cena onde Juliette visita a sua mãe (participação de Claire Johnston) pela primeira vez após ganhar liberdade, que perdeu a memória. O aniversário de Juliette e a participação desta num repouso de final de semana com os amigos de Léa e Luc também são momentos marcantes. Por mais que não seja totalmente extraordinário por conta do espectador conseguir antecipar o que acontecerá no último ato, “Há Tanto Tempo Que Te Amo” usa da redenção de Juliette como uma amostra de que sempre haverá uma oportunidade em nossa existência para um recomeço.

Título Original: Il y a longtemps que je t’aime
Ano de Produção: 2008
Direção: Philippe Claudel
Elenco: Kristin Scott Thomas, Elsa Zylberstein, Serge Hazanavicius, Laurent Grévill, Frédéric Pierrot, Lise Ségur e Claire Johnston.

17 Comments

  1. Meu maior interesse em relação a esse filme são as atuações da Kristin Scott Thomas e Elsa Zylberstein, as quais receberam muitos elogios. A trama parece ser interessante também, mas acho que deve se apoiar mais em seu elenco.

  2. Assim como o Vinícius, meu maior interesse em relação a este filme são as atuações da Kristin Scott Thomas e da Elsa Zylberstain. Além disso, acho o roteiro do longa super intrigante e imagino o que as duas atrizes fizeram com ele. :-)

  3. Olá, Alex! Tudo bem? Espero que tenha melhorado!

    Estou com ótima curiosidade de ver o filme, e fiquei sentida de ver a Kristin Scott Thomas de fora da disputa do Oscar. Ela parece estar ótima, gosto muito do trabalho dela.

    Beijos e tenha uma ótima semana!

  4. Quero muito ver o filme pela minha predilação pelo cinema francês e, claro, pela protagonista, que adoro.

    Belo banner!

    Ciao!

  5. Eu vou ver Há Tanto Tempo que Te Amo sexta feira!!! Deve ser muito bom!

  6. Levei um susto, Alex! Adoro o novo visual!!!

    Sobre o filme, estou baixando Happy-Go-Lucky, mas se você ainda tiver o link deste I’ve Loved You So Long e quiser me ”emprestar”, estarei no MSN esperando! :)

    E não espero nada menos que incrível de Kristin aqui. Lembrando que vi Melissa e não achei essa coisa toda que dizem não…

    Abs!!

  7. Como gosto muitíssimo da Kristin Scott Thomas, lindíssima e ótima atriz (imagine só, esses dias eu revi “O Paciente Inglês” e a nota subiu de 7,5 para 8,5; um dos motivos foi ela, hahaha), estou à espera de “I’ve Loved You So Long” com uma expectativa moderada. Mas, dado as ótimas críticas que Kristin vêm recebendo, vai a pergunta: já que não tiveram coragem de indicar a Sally Hawkins, por que não Kristin no lugar dela, ao invés da Angelina Jolie??
    Um abraço!

  8. Dei uma passada aqui só pra dizer que finalmente respondemos ao selo que nos passou, obrigado, viu?

    Abraços…

  9. Mudou o layout por aqui? :)

    Eu ainda não vi o filme, mas está na minha extensa lista, rsrs.

  10. Expliquei lá no meu blog que vou ficar umas semanas away, blza?! Então não ligue se eu não postar por aqui durante esse tempo.

    Abs!

  11. Estou louco louco louco pra ver esse filme! Obrigado pelo texto ;-)

  12. Alex Gonçalves Alex Gonçalves

    Vinícius, então você certamente não se decepcionará!

    Kamila, apesar do fim da história ser um tanto previsível, ele é sim bem intrigante, capaz de provocar alguns choques.

    Mayara, estou muito bem, obrigado! Também aprecio muito o trabalho de Kristin Scott Thomas, apesar de eu ter dado atenção a ela com um filme ao qual não gosto: “O Paciente Inglês”. Beijos, tudo de bom!

    Luciano, valeu!

    Wally, grato! Abraços!

    Pedro, depois tenho que confirmar se de fato o senhor conferiu o longa.

    Kau, que bom que gostou do visual. Bem, o torrent foi enviado e fico aguardando o seu retorno após esta pequena pausa. Abraços!

    Weiner, concordo com você! Para mim a Kristen poderia estar no lugar de qualquer uma das cinco atrizes indicadas (mas vale lembrar que ainda não vi Anne em “O Casamento de Rachel”). Abraços!

    O Cara, eu que agradeço! Abraços!

    Marina, mudei! Acho que finalmente pude deixar o blog com a minha cara. Mas agradeço ao Luciano pela ajuda, claro!!!

    Anderson, eu que agradeço pela visita!

    Airton, com toda a certeza vou visitá-lo.

  13. Marcelo Coldfer Marcelo Coldfer

    A química entre as duas atrizes nesse filme foi sensacional, até pareciam irmãs de verdade, e que beleza tem a Elza Zylberstein, em todas as cenas ele me arrancava suspiros. Filmes dramáticos e amargos são os meus preferidos. Kristin Scott Thomas merece um altar, e seu personagem foi um dos mais marcantes do cinema.

  14. Marcelo, é verdade. A sintonia entre as atrizes valorizam ainda mais o filme. E para mim Kristin Scott Thomas é uma deusa. A sua interpretação é uma das melhores (ou a melhor) deste ano.

  15. […] Asa), Philippe Claudel iniciou tarde a carreira como cineasta. Aos 46 anos, lançou “Há Tanto Tempo Que Te Amo“, que permitiu a Kristin Scott Thomas entregar um dos trabalhos mais arrebatadores de sua […]

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: