O Curioso Caso de Benjamin Button

O Curioso Caso de Benjamin ButtonVindo do universo videoclipeiro, David Fincher é hoje um dos diretores mais respeitados que atua em Hollywood. É um profissional que se preocupa por cada um dos detalhes de suas películas e com o hábito de ser grandioso e radical. Essas virtudes o fazem ser destacado por muitos cinéfilos como o melhor diretor em atividade ou o mais subestimado pelas referências de sua falta de popularidade diante do grande público. A verdade é que não se trata de um diretor extraordinário. Ele acerta ao investir em trabalhos mais modestos e sem grandes pretensões, como “Se7en” (o seu melhor filme) e “O Quarto do Pânico”. Os outros, no entanto, agregam várias imperfeições, ainda que “Clube da Luta” seja prestigiado como um dos grandes filmes cults do cinema.

Um conto de F. Scott Fitzgerald serve como base para “O Curioso Caso de Benjamin Button”. O personagem-título (Brad Pitt, em fraca performance indicada ao Oscar) foi abandonado após o parto. O motivo está relacionado a morte de sua mãe após dar à luz e a sua aparência, que se assemelha a de um idoso. A bem-intencionada Queenie (Taraji P. Henson, indicada ao Oscar pela interpretação), que o vê nas escadarias do local onde mora, acaba adotando-o e o cria como se fosse o seu próprio filho. Queenie imagina que serão poucos os dias de vida do bebê, até que ele cresce de uma forma misteriosa: ele rejuvenesce fisicamente, abandonando a sua fisionomia envelhecida com o passar dos anos. Mas essa história se desenvolve em forma de flashbacks, com Caroline (Julia Ormond, lamentavelmente desperdiçada) lendo o diário de Benjamin Button a pedido da sua mãe à beira da morte Daisy (Cate Blanchett, deslumbrante).

Somando ao todo treze indicações na última edição do Oscar, sendo considerado também nas categorias de melhor diretor e melhor filme, o drama conquistou somente os prêmios de Direção de Arte, Maquiagem e Efeitos Especiais, categorias técnicas que de fato impressionam. Mas é aí que “O Curioso Caso de Benjamin Button” encontra os seus limites. É um cinema de fato grandioso, repleto de mínimos detalhes, mas não verdadeiramente emocionante. Com esta história mágica, David Fincher poderia ter realizado um longa belo sobre a celebração da vida humana. Estão lá todos aqueles elementos que sempre cercam cada um de nós, especialmente o amor como o maior trunfo e a morte como a maior tristeza em toda uma existência. Mas eles são neutralizados por causa da condução pouco carinhosa para essa história.

Título Original: The Curious Case of Benjamin Button
Ano de Produção: 2008
Direção: David Fincher
Elenco: Brad Pitt, Cate Blanchett, Julia Ormond, Taraji P. Henson, Jason Flemyng, Phyllis Somerville, Elle Fanning, David Ross Paterson, Taren Cunningham, Tilda Swinton e Elias Koteas.
Cotação: 3 Stars

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

25 Comentários em O Curioso Caso de Benjamin Button

  1. Também acho que falta um pouco de emoção ao filme, mas não deixa de ser um belíssimo trabalho quanto à produção técnica, grandioso mesmo. Seria muito complicado o Fincher superar seus melhores trabalhos, mas acho que ele chegou próximo.

  2. Fincher não é um cineasta de emoção, por isso não sou fã. Não foi o único a apontar a grandiosidade do filme mas sua falta de “algo” mais profundo.
    Não vi ainda, mas verei, com as reservas de sempre.

  3. Inicialmente O CURIOSO CASO DE BENJAMIN BUTTON conta com um assunto exótico e que seduziu o público, levando-o às salas de cinema. Mas para a surpresa de todos, além disso, o que foi encontrado – já dentro do cinema – foi um filme bem dirigido, escrito e desenvolvido.

    SORO: roteiro; efeitos visuais; montagem; trilha sonora; fotografia; atuações; elipses.

    VENENO: erros de continuidade.

    NOTA (0 a 5): 5
    *****

  4. Também esperava bem mais do filme e achei o filme apenas bom. Tecnicamente, é extremamente competente, mas faltou um algo mais ao filme. O fator emocional realmente é fraco. E Leonardo DiCaprio estava melhor que Pitt, convenhamos, mesmo sabendo que você odeia ele hehehe

  5. Olá, Alex! Tudo bem?

    Além do filme ser belíssimo visualmente, o filme me conquistou por contar a história de um homem incomum e suas descobertas. È o meu terceiro favorito dos indicados ao Oscar de filme.

    Beijos e tenha uma ótima semana! ;)

  6. Comigo não tem jeito, eu amo esse filme, são 3 horas sem arrependimentos. Fico feliz que você, assim como eu, tenha gostado da Blanchett, já que ela foi pouco elogiada.

    ABRAÇOS

  7. Gostei muito de Benjamin Button , pois antes de tudo é uma história fantástica, que toca o coração de todos os seres humanos. E concordo com a atuação de Brad Pitt ser fraca, se não fosse pela maquiagem quase ninguém notaria ele no filme..rs. Mas o filme merece um lugar ao Sol.

  8. Vinícius, que chegou perto pode até ser verdade, pois ele não vez muitas coisas que para mim foram desapontadoras, como “Alien 3” e “Vidas em Jogo”.

    Pedro, é verdade!

    Gustavo, é bem verdade. Eu não consigo me envolver emocionamente com nenhuma de suas fitas.

    Anderson, se sua nota fosse de 0 à 10 eu até concordava, rs.

    Ibertson, ambos estão sofríveis! Mas a vantagem é que Pitt é ajudado por efeitos especiais. Agora quando ele é adulto, sem uso de técnica, vem a sua apatia.

    Mandy, você se deixou levar por muito pouco, rs. E obrigado mesmo pelo selo! ;)

    Mayara, do top cinco este ocupa o quinto lugar, rs. O restante das colocações você continuará sabendo ao longo dessa semana, até quinta-feira. Beijos, excelente final de semana!

    O Cara da Locadora, nem de “Quem Quer Ser Um Milionário” eu gostei muito…

    Brenno, até agora estou me perguntando como o desempenho de Cate Blanchett, o melhor em todo o filme, foi capaz de ser tão ignorado. Para mim se o filme chega a ser bom é por causa dela. Abraços!

    Marcelo, eu sou um ser humano, mas o filme esteve longe de me tocar de alguma maneira, rs. E Brad Pitt está uma caca mesmo! Uma pena, pois em “Queime Depois de Ler” ele esteve sensacional!

  9. Não faço coro ao pessoal que aprecia apenas as qualidades técnicas deste filme. Gosto muito da história, que acho cativante e que me proporcinou boas reflexões. Considero mais um ponto positivo na carreira do Fincher. Abraço!

  10. Eu gostei bastante de Benjamin Button, apesar das falhas. 4 estrelas pra ele, mas nota de números seriam ou um 7,5 ou um 8. Com certeza não é filme pra ser considerado como um dos melhores do ano, mas não importa: eu gostei! :D

  11. Achei este filme extremamente superestimado, não vejo graça alguma na maioria das coisas que foram lembradas no Oscar (13 se não me engano). Acho apqnas que Brad Pitt está provando aos poucos que tem algum talento recluso dentro se si, e também que Fincher se vendeu fácil por um pojeto que não tem absolutamente nada a ver com ele.
    Resumindo: o filme é belo de se ver, mas o roteiro é maniqueísta e imbecil, sem falar na mão pesadona do Fincher (que no fim auxiliou para que o estrago fosse ainda maior).
    Nota: 7,5
    Abraço!

  12. Bruno eu também gosto muito da história, mas não da forma como ela é executada. Não me senti em momento algum tocado pelo filme. Abraço!

    Diego, acho que muitos estão considerando ele um dos melhores do ano. No ponto crítico de janeiro que monto aqui no blog, por exemplo, ele ficou quase que disparado em primeiro lugar com a melhor média entre os filmes lançados no primeiro mês do ano.

    Weiner, você conseguiu publicar em seu comentário mais queixas do que eu em toda a minha resenha, rs. Daí estranho o 7.5, uma nota que considero bem alta. Abraço!

  13. Tbm adorei, filme q tem uma excelente história, bizarra, mas muito interessante sobre a vida e a morte, dirigido com a competência de sempre de Fincher, e com Brad Pitt em sua melhor atuação na carreira, o feito do filme se concentra na simplicidade do seu personagem, gostei muito apesar da longa duração (que nem senti) e do final ser bem previsível, mas acompanhar todos os acontecimentos até ele foi sem dúvida gratificante. nota 8.0!
    Abs! Diego!

  14. Talvez meu preferido de toda a seleção do Oscar, o filme me impressionou como obra cinematográfica e me tocou como drama humano.

    Nota 9.5

  15. ACABEI DE ASSISTIR E FOI MARAVILHOSO QUANTO A ATUAÇÃO DE BRED NÃO ACHEI FRACA APENAS FOI O TON QUE ELE ENCONTROU PRA DÁ VIDA A UM PESSONAGEM QUE PRATICAMENTE NASCE COM O PÉ NA COVA OU SEJA ELE JÁ NASCE CANSADO COM O PESO DA IDADE E NADA NA CABEÇA.

2 Trackbacks & Pingbacks

  1. Retrospectiva 2009: Parte 1 « Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos
  2. Indicados ao Oscar 2012 – Comentários e Apostas « Cine Resenhas – 5 Anos

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: