Resenha Crítica | Recém-Chegada (2009)

Recém-Chegada
A primeira impressão é a que fica no caso da comédia “Recém-Chegada”. O filme de Jonas Elmer trás Renée Zellweger na pele de Lucy Hill, uma executiva em ascensão que vive em Miami. Surge a oportunidade de viagem a trabalho para a fria Minnesota e a sua missão é reerguer uma fábrica de alimentos. Cheia de classe e postura, Lucy passará por muitos desentendimentos com as pessoas da comunidade onde está hospedada sendo pelo seu comportamento e profissionalismo. Dá que essa história, onde se deve separar as diferenças, muito há de “Doce Lar”, um sucesso estrelado por Reese Witherspoon 2002.

Outra coincidência é o roteirista C. Jay Cox, o mesmo de “Doce Lar”, que também escreve a história com Ken Rance. E embora sejam filmes que tragam personagens que passam por situações bem distintas em suas vidas, o resultado é basicamente o mesmo.

Diversos fatores cooperam pelo frouxo resultado da comédia. Mesmo muito elegante, Renée Zellweger não faz funcionar qualquer química com o par aparentemente romântico que forma com Harry Connick, Jr., que por sua vez é melhor ao encarnar tipos perigosos como os vistos em “Copycat – A Vida Imita a Morte” e “Possuídos”. Salva-se do elenco somente a atriz Siobhan Fallon, divertida como a assistente de Lucy. Mas no fim faltou espaço para graça e sobrou para a previsibilidade da trama que a abate desde os primeiros minutos. Não serve nem para dias frios.

Título Original: New in Town
Ano de Produção: 2009
Direção: Jonas Elmer
Elenco: Renée Zellweger, Harry Connick Jr., Siobhan Fallon, J.K. Simmons e Frances Conroy.
Nota: 3.5

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

17 Comentários em Resenha Crítica | Recém-Chegada (2009)

  1. Achei uma porcaria.
    Mas, o que mais me irritou foi o tipo dos personagens. Um mais imbecil que o outro.
    E aqui a Renée está até simpática, fazendo o que pode pra imprimir alguma graça na história…

  2. Só pelas primeiras fotos divulgadas deste filme já se previa que era o mais puro clichê. Eu confesso que tenho problemas com Renée Zellweger – acho uma tola viagem de ácido a terem escalado para o papel principal em Chicago – e acredito que ela não faça nada do que já fez em algum outro filme neste New in Town.

    Abs!

  3. Esse filme foi o fundo do poço na carreira da Renée Zellweger. Sempre gostei da atriz, mas depois dessa porcaria, não tenho expectativa alguma para seus próximos projetos. Contudo, ainda torço (e espero) que isso mude com seus lançamentos para o fim de ano.

  4. Engraçado como atrizes promissoras (e ganhadoras de grandes papéis) como a Zellwéger fazem troças deste nível para ganhar alguns trocados. Difícil acreditar que uma atriz que carregava o emblema “talentosa e divertida” trocou o mesmo pelo “faço qualquer palhaçada… por um punhado de dólares”.
    Decepção total.
    Abraços, senhor Alex Gonçalves!

  5. Vocês são muito papagaios!!! Só porque um não gostou todos foram atrás. O filme é muito legal só que vocês não tem senso de humor…Aposto que adoram ver Jogos Mortais , o Exorcista , entre outras podridões destas……….

  6. Concordo com a Cibely, achei o filme muito interessante e engraçado na medida certa. Quem nao viu deve assisti-lo e tirar suas proprias conclusões e nao se deixar levar pelas opinioes anteriores, nao acho que sera uma perda de tempo.

  7. Concordo com a Cibely, achei o filme muito interessante e engraçado na medida certa. Quem nao viu deve assisti-lo e tirar suas proprias conclusões e nao se deixar levar pelas opinioes anteriores, nao acho que sera uma perda de tempo

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: