Skip to content

Resenha Crítica | Arraste-Me Para o Inferno (2009)

Arraste-me Para o Inferno | Drag Me to HellSam Raimi passou praticamente toda a década se dedicando na direção da série cinematográfica “Homem-Aranha”. Mesmo que sejam filmes de natureza fantástica, todos sempre aguardavam por um retorno às suas raízes, dos bons tempos de “Uma Noite Alucinante”. É verdade que, de certa maneira, ele nunca abandonou o gênero que o consagrou, já que antes de “Homem-Aranha” ele dirigiu o esplêndido drama sobrenatural “O Dom da Premonição”. Raimi também é um dos investidores da Ghost House, produtora que bancou projetos como “O Grito”, “Os Mensageiros” e “Rise – A Ressurreição”. Só que as caríssimas aventuras de Peter Parker o impossibilitava de dirigir algo aos moldes da série protagonizada pelo impagável Bruce Campbell. Talvez por isto “Arraste-Me Para o Inferno” seja um dos eventos cinematográficos mais empolgantes do ano. E o melhor: merece toda essa expectativa, pois é um filmaço.

O roteiro do próprio Sam Raimi e de seu irmão Ivan Raimi estava pronto há anos e só agora ganha vida. O prólogo de aproximadamente quatro minutos já reserva um eficiente resumo do que se trata a história. Trata-se da maldição lançada por ciganos que evoca Lâmia, criatura satânica que arrasta para as profundezas do inferno a alma amaldiçoada três dias antes através de algum pertence. E esta maldição recaiu em Christine Brown (Alison Lohman), funcionária de uma agência bancária que nega a extensão de um empréstimo solicitada pela pavorosa senhora Ganush (Lorna Raver) a fim de impressionar o seu chefe (papel de David Paymer) e obter a vaga de gerente assistente. Depois de um embate sensacional dentro de um estacionamento, Ganush retira o botão da blusa de Christine e amaldiçoa o objeto, fazendo o seu dono passar por três dias sufocantes marcados por aparições macabras, sons medonhos, moscas e outras esquisitices.

O espectador já pode testemunhar que “Arraste-Me Para o Inferno” se sustenta com base nos filmes B de horror. O logotipo da Universal Pictures apresentado nos créditos iniciais e finais é o mesmo de quase trinta anos atrás. E como poucos realizadores hoje em dia, Sam Raimi consegue resgatar todo esse espírito trabalhando com as ferramentas hoje disponíveis na indústria. Os efeitos especiais, por exemplo, são perigosos, pois podem destruir qualquer atmosfera perturbadora que tenta predominar na história. Algo que não acontece em “Arraste-Me Para o Inferno”, pois aqui eles são eficientes justamente por serem grotescos, por vezes cartunescos. Aliás, se há outra coisa que Sam Raimi faz com maestria é a forma como mescla horror com humor. Em todos os momentos é fácil se pegar em gargalhadas ao mesmo tempo que os nervos se arrepiam progressivamente.

Se isso já não fosse o suficiente, ainda há outras características que só enaltecem “Arraste-Me Para o Inferno”. A trilha-sonora composta por Christopher Young, um grande maestro de temas suspicazes e constante colaborador de Sam Raimi, é um primor, atuando como um personagem fundamental em cena através de acordes tenebrosos. Já o elenco também merece destaque. Cercado de ótimos coadjuvantes, Alison Lohman é quem tem a maior responsabilidade. Antes seria Ellen Page a protagonista de “Arraste-Me Para o Inferno”, mas o diretor foi feliz por ter contado com a disponibilidade de uma atriz muito mais experiente e infinitamente melhor e depositar nela confiança para carregar todo o filme. Toda a empatia que temos pela personagem e sua intrigante situação é mérito de Lohman. Por sinal, todos os instantes você certamente estará se questionando o que faria caso estivesse na pele de Christine e se de fato ela é a grande vítima da própria escolha que fez.

É o melhor filme do gênero exibido até o instante este ano. Todavia, há um lamento: embora esteja em planejamento outros projetos terrorifícos, como a refilmagem de “Uma Noite Alucinante”, já é certo que Sam Raimi passará os próximos anos bem ocupado com a quarta aventura do “Homem-Aranha”. Um cineasta fantástico como este não pode continuar apodrecendo no inferno limitador e artificial que o heroísmo e os draminhas fajutos de Peter Parker certamente representam.

Título Original: Drag Me to Hell
Ano de Produção: 2009
Direção: Sam Raimi
Elenco: Alison Lohman, Justin Long, Lorna Raver, Dileep Rao, David Paymer, Reggie Lee, Kevin Foster, Molly Cheek, Chelcie Ross, Ted Raimi, Flor de Maria Chahua e Adriana Barraza.
Cotação: 4 Stars

23 Comments

  1. até que eu gosto das suas resenhas
    nao sao nem de longe tao imbecis quanto
    as resenhas do omelete
    pra se ler tem que teu um dicionário do lado pow!
    outra coisa os criticos deveriam dizer o que acham do filme em si e nao ficar fazendo analogias tolas e sem fundamento.
    achei esse site/blog seilá oque etc. porque eu estava cansado dessas criticas pra nerd.
    quantinue assim
    adoro filmes, odeio nego burro falando mal
    tranformes 2 ruim porque tem açao demais?
    vai pro inferno ver novelas da globo
    continue assim cara
    muito massa as suas resenhas.

  2. Dmax, obrigado. Assim como você, acredito que há mesmo diversos críticos que se desviam demais das principais propostas de um filme, invalidando demais as próprias análises. No mais, obrigado novamente pelos elogios. Retorne quando desejar. ;)

  3. Grande filme. Vi duas vezes no cinema. É o melhor do ano de filmes de gênero.

  4. Pedro, filmaço! E este final de semana estarei revendo, pois saiu DVD-Rip na Internet! :D

  5. Com certeza o melhor filme do gênero do ano!!! Eu sou apaixonado por filmes de terror, mas recentemente só vi porcarias como O Nevoeiro e Fim dos Tempos detestei mesmo!
    Sam Raimi é um dos meus diretores preferidos, e acerta mais uma vez!!! Arraste- me para o Inferno é diversão na certa!
    E sobre Homem Aranha, eu adoro as trilogia! Que terá a sequência em maio de 2011! E também já estão em produção o 5° e 6° filme, mas não é confirmada a presença de Maguire e Dunst!
    ABRAÇO

  6. Ricardo, é o melhor mesmo! E pelo que consultei na lista de futuros lançamentos até dezembro não deve haver nenhum concorrente de peso para tirá-lo deste trono. Também sou apaixonado pelo gênero e devo discordar de sua opinião em relação de “O Nevoeiro” e “Fim dos Tempos”, já que o primeiro considero o melhor filme do ano passado e o segundo, sensacional. Gosto muito de Sam Raimi, mas peguei muita raiva dele por conta de sua relação com os filmes do “Homem-Aranha” (acho todos os três terríveis!), embora ele tenha produzido filmes legais com o selo da Ghost House. Abraço.

  7. Me parmita ser a voz da discórdia rsrs, mais não achei o filme assim tão bom… de verdade. Acho que ele não se sustenta , mas como sua resenha (como sempre) foi muito boa… vou dar uma outra chance ao filme.

    Queria fazer coro a primeira mensagem do tópico pelo Dmax… concordo totalmente, aliás esse foi um dos motivos que me fez criar um blog… o cansaço com as teorias e subterfúgios por trás de uma crítica de cinema. Ainda não vi Tranformers 2, mas muita gente que conheço não se incomodou tanto com a ação, mas sim com o roteiro ser “jogado”, ou seja, vc n conseguir acreditar naquela história.

    Abraços !

  8. Mas é bom saber que ele investe seu tempo, digamos, “livre” para compor pérolas como essa. Ótimo filme!

  9. Marcelo Coldfer Marcelo Coldfer

    Sam Raimi homenageou os fãs de terror com esse filme. Nojento, assustador, engraçado, o filme trouxe um novo fôlego para os filmes de terror que andavem em baixa. 2009 está sendo um ano muito bom para o cinema com certeza.
    Aquele lenço flutuando me deu um medo …rs

  10. Marcelo Coldfer Marcelo Coldfer

    estou apostando também em Sede de Sangue. Junto com Drag me… será os melhores de terror do ano

  11. Um dos filmes mais divertidos que já vi no cinema. Parabéns pelo texto! Abraço!

  12. Eu não sou muito fã do gênero, mas fiquei surpreso com a quantidade de comentários positivos a respeito desse longa – algo que, sem dúvida, me motiva a procurá-lo.

  13. Alex, gostei de sua crítica, acho que irei pegar coragem e verei este “Arraste-me para o Inferno”. rsrsrsrs.

    Beijos e tenha um ótimo fim de semana! ;)

  14. Do gênero, o melhor do ano com certeza. O que mais gostei no filme é seu tom de moralidade. Achei fantástico este véu que é colocado sob o terror mais trash. É uma obra fantástica.

    Nota 8.5

  15. linderval souza linderval souza

    Alex,mais uma vez voçe foi muito feliz ao fazer esta resenha,numa época onde “nada se cria tudo se copia”arraste-me para o inferno e totalmente o oposto dos filmes de horror atuais,acho que Sam Raime e o unico que consegue fazer isso de forma competente, nos assustar e ao mesmo tempo nos deliciar com os momentos hilario e meio nostalgico deste filme.

    nota:8.5/10

  16. Alexandre, pena você não ter gostado tanto do filme quanto eu gostei. Talvez com uma revisão ele pode subir no seu conceito. E retornando ao que foi declarado pelo Dmax, também me frustro ao ler críticos se importando com características irrelevantes diante da proposta de um título. Acredito que nós, o público, devemos estar mais interessados nisto. É o que tento expressar com as minhas resenhas. Abraços e obrigado.

    Pedro, esta aí um exemplo de “tempo livre” muito bem investido! ;)

    Marcelo, acredito que o pessoal pesa muito a responsabilidade no gênero estar em baixa tendo visto só meia dúzia de filmes ruins. Acredito que “Arraste-me Para o Inferno” seja o título ideal para mostrar que todas essas pessoas que preservam essa opinião estão errados, que existem pessoas velando com competência para o melhor do cinema de horror. E o lenço é assustador! Adoro quando a Christine finalmente o rasga antes de entrar no cemitério, rs. E estou com boas expectativas enquanto ao “Sede de Sangue”, espero gostar.

    Daniel, o filme foi me reservou uma experiência maravilhosa. Obrigado, abraços.

    Vinícius, você ainda está procurando por ele? Veja o mais depressa possível!

    Mayara, garanto que será um filme que você não deve se arrepender de assistir. Obrigatório! Beijos, excelente semana.

    Wally, é ver que o cinema de horror também tem o seu poder na hora de fazer o espectador refletir bastante sobre o que acabou de assistir.

    Linderval, muito obrigado. De fato é raro testemunhar diretores como Sam Raimi provocarem essas duas reações simultaneamente do espectador, o que é muito gratificante.

  17. Um dos melhores do ano!
    Sam Raimi voltou em grande estilo ao gênero q lhe revelou. nota 8.0!
    Abs! Diego!

  18. Diego, diria que é quase o melhor longa do ano. Mas vamos ver o que o cinema de 2009 ainda tem para nos reservar até o seu término. Abraços.

  19. Após quase três décadas e uma restrição em curso no leme da concessão do “Homem Aranha”, Sam Raimi chamou alguns demônios longo-dormentes dos seus próprios, e fez um retorno triunfante a suas raízes com “Arrasta-me para o inferno”.Um filme estilo terror-suspense, sem derramamento de sangue, mutilações, enfim um clássico que nos lembra a serie de filmes “Lendas Urbana e Uma Noite Alucinante”. Tem um aspecto antigo e meio nostálgico. Todo o roteiro foi escrito por Sam Raimi e seu irmão Ivan, e se apóia numa afirmação que é bastante conhecida: a de que a nossa vida é uma conseqüência de uma série de escolhas e decisões. Todas as provações pela qual a protagonista Christine Brown é decorrente daquilo que ela escolher fazer. Para cada ação e gesto, Christine terá uma reação. E isso será fundamental para selar o seu destino na obra. O roteiro também toca em outros pontos como a ambição e a competição – características que são bem peculiares da cultura norte-americana. Na primeira cena observamos as tentativas inocente de um menino hispânico ser jogado de um balcão e ser inteiro engolido por uma falha impetuosa na terra, o próprio inferno. Dá para imaginar tal destino espera Christine (Alison Lohman). Christine vem de origem humilde e namora um professor universitário (Justin Long) oriundo de família rica e ela trabalha na área de empréstimos de um banco. Está claro que ela é muito esforçada e vem se dedicando com afinco à oportunidade de ser promovida à assistente da gerência. Porém, para tanto, Christine tem que demonstrar certas capacidades e, ao recusar o pedido de extensão do financiamento da casa da misteriosa Sra. Ganush (Lorna Raver), uma mulher adulta com um olho cego, unhas decrépitas e uma atitude relaxado à higiene pessoal. A Sra. Ganush implora a Christine por uma extensão em seu empréstimo hipotecário, e Christine, de encontro a seus próprios princípios, nega a renovação da hipoteca fazendo à cigana raivosamente não satisfeita. Christine depois encontra um receptor azarado de uma praga aciganada. De acordo com uma consulta com um conselheiro espiritual – quem ele mesmo é chocalhado um pouco por o que vê – Christine terá três dias de tormento. Após isso, ela será reivindicada pelo “Lamia”, um demônio do inferno. Todos os sustos são estilo explícito usual de s, para baixo como o “Lamia”, considerado somente na silhueta do cartunista, e sua forma é uma homenagem direta a Jacques Tourneu – 1957 de s; “Noite do Demônio”. A jovem, vê sua vida se transformar num verdadeiro inferno. No entanto, a obra (mesmo alternando bons e maus momentos) fica na nossa mente por estar sempre querendo nos surpreender – e, em tempos em que o cinema anda cada vez mais previsível, isso é algo a se celebrar. “Arrasta-me ao inferno”, é um dos filmes mais agradáveis do ano. Com esta seguinte analise do site que agrega o maior e mais respeitável grupo de críticos do mundo: ”Sam Raimi retornará à sua melhor forma com Drag Me to Hell, um assustador, hilário, passeio de emoção deliciosamente exagerado.”, recebeu a nota 9,2. Nota: 9,0

  20. […] da trilogia “Evil Dead”, Raimi evidenciou seu domínio tanto na direção de obras como “Arraste-me Para o Inferno” quanto na produção das aventuras televisivas de “Hércules” e “Xena”. Porém, Sam […]

  21. Eduardo Eduardo

    Esse filme não é assustador e muito menos engraçado. Nojento – talvez seja a única coisa que li nos comentários que concordo.
    Filme C da lista do antigo CineTerror da bandeirantes. Meu deus…dizer que esse filme é qualquer coisa além de ruim, é BLASFEMIA. O terror é de saber que tem gente que dá nota 9,0 pra esse filme. O engraçado é que tem gente que assiste isso duas vezes, e nojento é que, eu ainda consegui assistir 45 minutos dessa pérola.

    • Eduardo, uma pena você ter achado “Arraste-me Para o Inferno” somente “nojento”. E duas considerações: hoje, daria um 10 para o filme e os filmes do CineTerror eram divertidíssimos!

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: