Skip to content

Resenha Crítica | Falando Grego (2009)

Falando Grego

Desde “Casamento Grego” a atriz Nia Vardalos parece não ter sido capaz de seguir adiante com um trabalho que não remetesse a este grande sucesso de 2002. De lá para cá seguiram-se uma curta e mal-sucedida temporada de “Casamento Grego – A Série”, que acompanhava os acontecimentos posteriores ao filme original e o discreto “Connie e Carla – As Rainhas da Noite”. Houve até mesmo o terrível “Eu Odeio o Dia dos Namorados“, sua estreia na direção. Um pouco antes ela protagonizou “Falando Grego”. O título já entrega semelhanças com “Casamento Grego”, mas o resultado é surpreendente agradável, onde a atriz retorna a sua boa forma e o casal Tom Hanks e Rita Wilson novamente assinam a produção.

Desta vez, Nia Vardalos é Georgia. Trata-se de uma mulher com os seus quarenta anos totalmente entediada com a própria vida. Muito por conta de sua profissão como guia turística na Grécia. Lidando sempre com os mesmos estereótipos de turistas ela decide que o tour narrado em “Falando Grego” seja o último antes de sua demissão. No entanto, o grupo que a acompanha, especialmente o simpático velhinho Irv (Richard Dreyfuss, o grande trunfo do filme), fará com que ela reveja a sua atual situação, especialmente no campo amoroso.

O roteiro de Mike Reiss (muito conhecido pela sua contribuição na série animada “Os Simpsons”) tem lá um ou outro momento superficial, mas ganha muito contando com a direção experiente de Donald Petrie, que realizou os divertidos “Miss Simpatia”, “Como Perder Um Homem em Dez Dias” e “Três Mulheres, Três Amores”. Com uma mistura irresistível de graça e ternura, o diretor garante um resultado que se aproxima não de “Casamento Grego”, mas de filmes como “Sob o Sol da Toscana”. Pode-se dizer que assim como Frances (personagem de Diane Lane), Georgia descobrirá através das adoráveis pessoas que a cercam transitando nas maravilhosas ruínas da Grécia que é preciso somente um pouco de otimismo para ver que a felicidade que sempre procura está ao seu redor – ou seguindo a tradição grega, a recuperação do seu kefi.

Título Original: My Life in Ruins
Ano de Produção: 2009
Direção: Donald Petrie
Elenco: Nia Vardalos, Alexis Georgoulis, Richard Dreyfuss, Alistair McGowan, Harland Williams, Rachel Dratch, Caroline Goodall, Ian Ogilvy, Sophie Stuckey, María Adánez, Brian Palermo, Jareb Dauplaise, Simon Gleeson, Natalie O’Donnell, Ian Gomez e Rita Wilson.
Nota: 8.0

8 Comments

  1. Oi Alex!
    Boa crítica. Vi o filme em setembro e gostei.
    A história é simples, leve e despretensiosa.
    Agrada e uma boa opção. A Nia V tá tão solta no papel, uma graça. E as paisagens são divinas!
    Vendo o filme, lembrei de uma disciplina que cursei na faculdade, chamada “História da arte” que ela ja havia ido a Grecia e na aula sobre este tema, nossa como ela falou bem de lá.
    Saudades.
    Um abraço.
    PS. eu recebi um e-mail seu falando sobre alguns filmes que podem ser avaliados por nós cinefílos.
    Assim que terminar de avaliar os que assisti, mando de volta.

  2. Marcelo Coldfer Marcelo Coldfer

    Espero que seja bom mesmo, pois esse diretor só fez um filme que eu gostei “Miss Congeniaity”

  3. Se o filme for do mesmo nível do deliciso passatempo “Casamento Grego”, já está de bom tamanho, fiquei curiosa depois de seu texto.

    Beijos! ;)

  4. Odeio “Casamento Grego” e “Sob o Seu da Toscana”, ou seja, esse filme provavelmente não deve funcionar para mim… sem falar que a Nia Vardalos é o grande fail da década.

  5. Seu texto me motivou a ver este filme, pelo qual eu sinceramente não dava nada.

  6. Gostei muito do “Casamento Grego”!
    Se esse tbm for bom conforme seu texto, deverei curtir!
    O “Eu Odeio o Dia…” tenho no HD, mas ñ vi ainda!
    Abs! Diego!

  7. Cintia, obrigado. É um filme cuja história apresenta os mesmos adjetivos ditos em seu comentário, com o diferencial de ainda levantar os ânimos do espectador. E infelizmente o Ponto Crítico de Maio já se encontra publicado. Mas caso queira participar do próximo… Abraços.

    Marcelo, o Donald Petrie já deu alguns escorregões, como aquele “Sorte no Amor”, com a Lindsay Lohan. Mas ele acertou na maioria das vezes e “Miss Simpatia” é o seu melhor filme.

    Mayara, mesmo nível talvez não seja (não sei se você sabe, mas “Casamento Grego” é um dos meus filmes favoritos!), mas chega muito, muito perto. Beijos.

    Vinícius, não seja tão malvado! :D E “Casamento Grego” e “Sob o Seu da Toscana” são os melhores filmes da década dentro dos seus respectivos gêneros.

    Wally, é um filme adorável que merece ser visto.

    Diego, eu também. É uma excelente comédia que arranca humor dos momentos mais inusitados e sinceros. Já “Eu Odeio o Dia dos Namorados“… Abraços.

  8. lisiane lisiane

    oie alex eu gostaria de saber seu msn pra vc me ajudar em um trabalho quem quizer mandar pra me ajudar tbm….
    blz

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: