Skip to content

Resenha Crítica | Substitutos (2009)

Reconhecido pelo eficiente “Breakdown – Implacável Perseguição”, thriller de ação estrelado por Kurt Russell, o americano Jonathan Mostow não foi capaz de mostrar a que veio com os seus ambiciosos projetos posteriores, que incluiu o decepcionante “O Exterminador do Futuro – A Rebelião das Máquinas”. Sem investir em nada no cinema desde a fita que fez Arnold Schwarzenegger reprisar o seu famoso Terminator pelo valor de 30 milhões de dólares, Mostow agora volta com “Substitutos”, uma ficção-científica promissora. O resultado, entretanto, causa frustração.

A história, ambientada em um futuro não muito distante, se baseia em uma sociedade composta por robôs. Conhecidos como Substitutos, eles se movimentam a partir do momento em que os humanos se conectam a eles. Essa evolução fez com que alguns índices sempre preocupantes, como o da violência, sofressem uma queda quase total. Porém, alguém conspira contra essa condição, restando ao agente do FBI Tom Greer (Bruce Willis) e a sua parceira Peters (Radha Mitchell, sem muito o que fazer), conectados em seu Substitutos, desvendarem quem está por trás dos assassinatos tanto das Máquinas quanto pela pessoa por trás dela.

Para deixar as coisas mais intrigantes os roteiristas John D. Brancato e Michael Ferris (que se baseiam em uma graphic novel de Brett Weldele e Robert Venditti) fazem com que o herói Tom solucione os crimes sem um Substituto e acrescenta uma pequena comunidade que se manifesta contra a artificialidade das máquinas viverem pelos indivíduos reclusos na segurança de seus lares. O problema é que “Substitutos” reserva uma revelação final tão fraca que é difícil não imaginar outras possibilidades bem melhores para que ele pudesse desenvolver. Se isto não bastasse, Mostow trabalha aqui com uma metragem bem curta, debilitando até mesmo as sequências de ação, breves e pouco imaginativas.

Título Original: Surrogates
Ano de Produção: 2009
Direção: Jonathan Mostow
Roteiro: John D. Brancato e Michael Ferris, baseado na graphic novel de Brett Weldele e Robert Venditti
Elenco: Bruce Willis, Radha Mitchell, Rosamund Pike, Boris Kodjoe, James Francis Ginty, Jack Noseworthy, Devin Ratray, Michael Cudlitz, Ving Rhames e James Cromwell
Cotação: 2 Stars

10 Comments

  1. Eu não me interessei por esse filme, não sei exatamente o porquê! Acho a história meio sem graça e Bruce Willis como principal… Acho que prefiro ficar com Eu,robô, que lembra um pouco e deve ser bem melhor!

    Ah, não sei… não gostei e depois da sua nota 5, e sua resenha que já até alerta um pouco os pontos baixos, esse deixa passar…

    ABRAÇO

  2. O que adorei neste filme foi seu conceito. E, como fã de ficção, estava realmente muito envolvido (e instigado) até a primeira meia hora. Mas aos poucos o filme começa a aderir à formulas e à resoluções baratas desenvolvidas em cima de trama policial superficial. Vez ou outra, surge momentos bastante interessantes, mas ao fim, realmente decepciona. No fim das contas, gostei do resultado, mas poderia ter rendido algo bem mais expressivo.

    Nota 6.5

  3. Quando eu fui assitir a esse filme, eu pensava em longa cenas de ação, com robôs e tiro e barulho e tal. Coisas que as vezes eu gosto. Mas faltou muito, pouquissimas cenas de ação o que deveria ser primordial para os fãs do gênero. Talvez até uma trama bem trabalhada renderia mais minha atenção, porém nem isso. O roteiro tem falhas, e as soluções são péssimas.

  4. Com Bruce Willis no elenco, esperava coisa melhor, muito chato o filme, com cenas de ação (das poucas q tem), nenhum pouco interessantes, história modorrenta e besta, aquele “Eu, Robô” com o Will Smith foi bem melhor. nota 4.0!
    Abs! Diego!

  5. Não estou com um pingo de vontade de ver este filme, rsrsrsrs.

    Beijos e tenha um ótimo fim de semana! ;)

  6. Como fã do gênero pretendo ver “Substitutos”, contudo não espero por um grande filme mesmo. E até que confio no Bruce Willis nesse tipo de produção.

  7. Absolutamente nada do Bruce Willis me interessa em suas atuais condições!

  8. Ricardo, já eu tinha boas expectativas em torno do projeto, mas ele é bem decepcionante. Já o Bruce Willis, bem, continua sendo o mesmo de outras fitas medianas que ele protagonizou dentro do gênero. Mas eu não gosto de “Eu, Robô”… Abraços.

    Wally, já eu nem na primeira meia hora pude me entreter muito. Para falar a verdade, o filme de fato trabalha com um conceito muito interessante, mas tudo é narrado de forma muito econômica. Quem sabe se tivesse ao menos uma metragem maior para trabalhar melhor com algumas coisas, como a ação.

    Luis, concordo com você. E que revelação mórbida foi aquela? Ao menos o filme se conclui de uma maneira suficientemente interessante para compensar (um pouco) os deslizes.

    Diego, eu não gosto de “Eu, Robô”, um filme do qual “Substitutos” parece ter copiado os mesmos problemas. Abraços.

    Mayara, deixa para o DVD. Ou para a Tela Quente.

    Vinícius, eu não sou fã do gênero e o filme nada contribui com ele. E eu gosto do Bruce Willis, mas aqui ele não se sobressai.

    Cleber, não acho bem isso. Bruce Willis ainda tem muito fôlego.

  9. Achei uma grande chatice esse, o pior q vi com Bruce Willis..nota 3.5..

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: