Vocês, Os Vivos

Vocês, Os Vivos
O diretor sueco de sessenta e seis anos Roy Andersson tornou-se célebre pela sua carreira dedicada a publicidade, tendo dirigido até o momento mais de trezentos comerciais. Como realizador de longa-metragem é reconhecido pelo drama “Canções do Segundo Andar”, o seu terceiro trabalho produzido em 2000. É na mescla de seu conhecimento em cinema e propaganda que chegamos em “Vocês, Os Vivos”. A experiência certamente será inédita para qualquer um. O que não significa que também seja positiva.

O filme reúne ao todo quarenta e sete trechos chamados de vinhetas. Cada uma delas pode dizer muito como também não dizer nada. No entanto, chega-se numa conclusão em cada uma delas. Em cada espaço, em cada situação, em cada personagem é observado a existência humana nos seus mais diversos sentimentos, especialmente nos de alegrias e tristezas. O duro é criar ânimo para apreciar todo esse volume de vinhetas, totalizando mais de noventa minutos.

Eles acontecem em planos fixos de câmera com personagens que aparecem e desaparecem a cada nova sequência. Em um momento as atenções estão voltadas em um pequeno grupo de homens tocando instrumentos musicais. Em outro, um personagem é roubado enquanto conversa em um restaurante. Aqueles que mais aparecem na tela são uma mulher resmungona que abre o filme e uma jovem apaixonada por um roqueiro (a união do casal rende a única vinheta bela do filme, onde estão a bordo de um trem nos moldes de uma residência). Se Roy Andersson teve a pretensão de criar um painel completo do que compõe a vida através dessas dezenas de retratos o resultado que ele obtém é um só: de que a nossa existência pode ser bem tediosa.

Título Original: Du Levande
Ano de Produção: 2007
Direção: Roy Andersson
Elenco: Jessika Lundberg, Elisabeth Helander, Björn Englund, Leif Larsson, Olle Olson, Birgitta Persson, Kemal Sener, Håkan Angser, Rolf Engström, Gunnar Ivarsson e Patrik Anders Edgren.
Nota: 2.0

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

6 Comentários em Vocês, Os Vivos

  1. estou passando longe de filmes insuportáveis que pretender tomar meu tempo precioso e escasso. Porém tenho muit vontade de ver Cançoes do segundo andar do mesmo diretor.

  2. Marcelo, “Vocês, Os Vivos” é uma tremenda perda de tempo, com todo o respeito ao seu realizador. Mas eu também tenho vontade de assistir “Canções do Segundo Andar”, que já encontrei na Internet para download.

    Ricardo, deve ser um jogo de paciência mesmo, rs. E eu vi “Zumbilândia”. Fiz download. Já tem R5, uma ótima qualidade. Abraço.

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: