Skip to content

Resenha Crítica | A Mulher Invisível (2009)

A Mulher InvisívelCláudio Torres teve com o seu “Redentor” críticas positivas quase unânimes por parte da imprensa especializada. A carreira do filme nos cinemas se mostrou contra qualquer expectativa dos distribuidores, entretanto. Posteriormente, realizou a comédia popular “A Mulher do Meu Amigo”, mas eis que novamente amarga um fracasso. Só com “A Mulher Invisível”, o seu quarto filme como diretor (sua estreia aconteceu com um dos segmentos de “Traição”, produção de 1998), o sucesso lhe apareceu. Que fique claro que a conquista obtida se diz respeito em termos de bilheteria, já que “A Mulher Invisível” se mostra bem enfadonho, mesmo com uma ou outra cena cômica.

A comédia inicia no exato momento onde Marina (Maria Luisa Mendonça), grávida de seu amante, abandona o marido Pedro (Selton Mello). Sem reação, o nosso protagonista nada mais faz do que se manter recluso de tudo e de todos por meses em seu apartamento. A sua existência só volta a fazer sentido quando aparece em sua porta a vizinha Amanda (Luana Piovani) pedindo uma xícara com açúcar. Considerando-a a mulher perfeita, Pedro não demora para engatar um namoro. O agito começa quando a outra vizinha Vitória (Maria Manoella) pretende decretar a atração secreta que tem por Pedro assim que seu marido morre e quando ela, junto com a sua irmã grávida Lucia (Fernanda Torres), descobre que Amanda não passa de um fruto da imaginação do sujeito.

Dá para notar certo apelo por fitas americanas do gênero no desenvolvimento de “A Mulher Invisível”. As sequências noturnas onde Pedro sai com Amanda para jantares românticos e para o cinema são típicas de besteirol. Mesmo assim, “A Mulher Invisível” vai seguindo tranquilamente até a primeira hora. Os instantes finais são os que prejudicam radicalmente o resultado. Sem mais nem menos, Cláudio Torres repete a mesma premissa, substituindo Amanda pela Vitória para viver a vizinha perfeita da vez, com o diferencial desta de fato existir – e com quem Pedro acredita ser outra personagem de sua imaginação, já que ele nunca deu bolas para a sua vizinha de anos. No meio dessa longa repetição só mesmo Fernanda Torres com suas intervenções e com os conselhos “cabeludos” que dá para a sua irmã para valer o programa.

Título Original: A Mulher Invisível
Ano de Produção: 2009
Direção: Cláudio Torres
Elenco: Selton Mello, Luana Piovani, Maria Manoella, Vladimir Brichta, Fernanda Torres, Paulo Betti, Lúcio Mauro e Maria Luisa Mendonça.
Cotação: 2 Stars

8 Comments

  1. Também concordo com o Breno, o filme em sim não me agradou. Mas Selton vale a pena conferir.

  2. Olá Alex, eu me diverti bastante com “A Mulher Invisível”. E concordando com com os comentários acima, Selton Mello é o melhor do filme. Vou linkar vc, ok?! Abraço!

  3. Alex Gonçalves Alex Gonçalves

    – Brenno, já para mim valeu a Fernanda Torres, que me fez morrer de rir. Amo essa mulher!
    – Luis, não acho que o Selton Mello esteja em um bom momento neste filme.
    – Rafael, já eu não consegui gostar muito, assim como apreciar a interpretação cômica de Selton Mello. Muito obrigado por me linkar, farei o mesmo ao atualizar o blogroll. Abraço.

  4. LeuMarktt LeuMarktt

    Eu ri mais do que eu esperava, tava de bom humor quando vi, por isso acho que acabei gostando, mas é aqueles filmes que é pra se ver somente uma vez e tá bom demais ahsuhasuhaus

  5. Alex Gonçalves Alex Gonçalves

    – LeuMarktt, com certeza. Assistir “A Mulher Invisível” uma vez é mais do que suficiente.

  6. […] surgiu desde “Redentor” e transferida para “A Mulher do Meu Amigo” e “A Mulher Invisível“: o de preencher seus projetos com elementos suficientes para saciar o grande público. Pois […]

  7. […] a exemplo de “O Auto da Compadecida”, “Lisbela e o Prisioneiro” e “A Mulher Invisível“. Ao estrear como diretor em “Feliz Natal”, muitos aprovaram o resultado, mas estranharam […]

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: