Skip to content

Resenha Crítica | G.I. Joe – A Origem da Cobra (2009)

G.I. Joe - A Origem da CobraQuem diria que a Hasbro, empresa responsável pela criação de bonecos, um dia seria usada como ponte para a criação de longas de ação. Imprevisto maior que essa é o fato da adaptação para cinema ter resultado em sucesso, a exemplo de “Transformers – O Filme” e “Transformers – A Vingança dos Derrotados”, ambos dirigidos pelo exagerado Michael Bay. O investimento da vez é a linha de bonecos “Comandos em Ação”, que foram uma febre, inclusive no Brasil, na década de 1980.

A história, o ponto mais fraco de todo o filme, é quase inexistente e confusa. Ela mostra os G.I. Joes em uma missão na qual devem impedir a perigosa M.A.R.S. de ter em mãos robôs capazes de destruírem todo o metal que entrarem em contato. Além deste conflito entre heróis e vilões, há segmentos que nos fazem compreender a natureza de seus principais personagens. Descobre-se que o protagonista Duke (Channing Tatum, fraco como de costume) teve um caso com Baronese (a charmosa Sienna Miller), uma das aliadas fundamentais da M.A.R.S. Já o misterioso Snake Eyes (Ray Park) fez voto de silêncio assim que seu mestre samurai foi assassinado em sua infância por outro membro da M.A.R.S., Storm Shadow (Byung-hun Lee).

Diretor dos ótimos e divertidíssimos “A Múmia” e “O Retorno da Múmia”, Stephen Sommers até honra os 170 milhões de dólares envolvidos somente na produção do longa-metragem em alguns momentos, Há uma extensa sequência de ação passada nas ruas de Paris que talvez seja a melhor em vista de outros blockbusters lançados em 2009. O restante é prejudicado por flashbacks muito mal inseridos, que muitas vezes chegam a ser embaraçosos, e o desenvolvimento exaustivo para a conclusão. Talvez esses problemas sejam ajustados na sequência já confirmada, que terá a dupla Paul Wernick e Rhett Reese (do brilhante “Zumbilândia”) como roteiristas.

Título Original: G.I. Joe: The Rise of Cobra
Ano de Produção: 2009
Direção: Stephen Sommers
Elenco: Channing Tatum, Sienna Miller, Rachel Nichols, Marlon Wayans, Dennis Quaid, Christopher Eccleston, Joseph Gordon-Levitt, Jonathan Pryce, Saïd Taghmaoui, Adewale Akinnuoye-Agbaje, Arnold Vosloo, Ray Park, Byung-hun Lee, Grégory Fitoussi, Leo Howard, Brandon Soo Hoo, Kevin J. O’Connor e Brendan Fraser.
Cotação: 2 Stars

7 Comments

  1. Duas estrelas? Mesmo com as ‘boas’ cenas de luta nas ruas, ainda acho um filme BEM ruim! Trash, com personagens horríveis e ,sinceramente, só foi feito para dar lucro. rssrs

  2. Já estou vendo muitos filmes ruins ultimamente, estou fugindo deste como diabo foge da cruz, kkkkk! Não vi nenhuma opinião positiva à respeito (só de alguns amigos meus que, tipo, adoram esses filmes ¬¬’).

  3. Desse eu quero passar longe, mas quem sabe um dia quando passar na TV…

  4. Vinícius Vinícius

    Tô conhecendo agora seu novo espaço e, meu Deus, isso é o que eu chamo de evolução. Parabéns, Alex!

    Quanto ao filme, ainda nao vi e, sinceramente, nem tenho vontade de ver.

    Valeu!

  5. Alex Gonçalves Alex Gonçalves

    – Luis, e qual blockbuster não foi feito com a única intenção de lucrar? Achei divertido, mas os erros acabam se sobressaindo.

    – Fael, mas não é bom o senhor ver um filme antes de julgá-lo como ruim?

    – Vinícius, já eu assisto logo quando surge a oportunidade, pois não vejo tevê.

    – Vinícius, fico muito grato pelos parabéns, assim como feliz por você ter se surpreendido com o novo Cine Resenhas. Valeu!

  6. Vejo este filme, se não estiver boas opções na TV…

    Beijos! ;)

  7. Alex Gonçalves Alex Gonçalves

    – Mayara, digo que vale a pena ao menos para espiar a sequência sensacional em Paris. Beijos.

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: