Melhores de 2009: Diretor

Yôjirô Takita, A Partida - OkuribitoYôjirô Takita, por “A Partida

É extremamente fácil para um filme cair em um dispensável melodrama quando se dispõe a retratar a dor da perda. Não é o que acontece em “A Partida”. Tudo graças a delicada direção do japonês Yôjirô Takita, que faz com que as emoções de seus personagens (e do espectador) se mostrem na circunstância exata. Basta contemplar as maravilhosas cerimônias de despedidas realizadas pelo protagonista vivido por Masahiro Motoki, uma mistura singular de melancolia e paz interior. Usando a bela composição de Joe Hisaishi como ferramenta para atingir estes resultados, Yôjirô Takita orquestra o melhor drama do final da década passada.

Outros indicados: Clint Eastwood (“Gran Torino”) | Neill Blomkamp (“Distrito 9”) | Quentin Tarantino (“Bastardos Inglórios”) | Sam Raimi (“Arraste-me Para o Inferno”)

Em 2008: Joe Wright, por “Desejo e Reparação”
Em 2007: William Friedkin, por “Possuídos

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

4 Comentários em Melhores de 2009: Diretor

  1. Também não assistir A Partida ainda, mas adorei ver novos nomes sendo indicados (Sam é uma grata surpresa para mim). Só acho que Eastwood não me convenceu muito.

  2. – Alexsandro, James Cameron? Não mesmo! Abração!

    – Vinícius, obrigado.

    – Luis, acho “Gran Torino” confere um trabalho de direção tão inesperado quanto o de “Menina de Ouro”. Então não daria para eu deixar de indicar Clint Eastwood por este seu mais recente e incrível trabalho.

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: