Skip to content

Resenha Crítica | Bons Costumes (2008)

Bons Costumes | Easy VirtueNem muitos deram falta do diretor Stephan Elliott. Até hoje cultuado por “Priscila – A Rainha do Deserto”, o realizador australiano conduziu posteriormente pouquíssimos títulos nada memoráveis. A pausa de quase dez anos (seu último filme foi o thriller “Sedução Fatal”, com Ewan McGregor e Ashley Judd) é interrompida com “Bons Costumes”. O retorno não poderia ter sido mais triunfal, pois sua comédia de época, lançada somente no início de 2010 no circuito paulistano, já é um dos melhores filmes do ano.

A história é uma adaptação do romance de Noel Coward e já havia ganhado vida no cinema em 1928 com o título “Vida Fácil”, talvez o pior filme da fase britânica de Alfred Hitchcock. Ela desenvolve a relação conflituosa da namorada de John Whittaker (Ben Barnes, de “As Crônicas de Nárnia: Príncipe Caspian”), uma americana, com a sua família inglesa. Chamada Larita Huntington (Jessica Biel), ela se casou rapidamente com John na França e desperta a ira da conservadora Mrs. Whittaker (papel de Kristin Scott Thomas), mãe de John, que está determinada em encontrar algo obscuro no passado dela. Não demorará para os personagens desvendarem um divórcio escandaloso envolvendo o nome de Larita, uma ex-corredora automobilística.

“Bons Costumes” rende risadas a partir do momento onde explora a velha guerra de diferenças entre americanos e britânicos, bem como nas encrencas que Larita se mete ao tentar agradar a família de John – vale observar que neste instante uma estranha sintonia acontece entre Larita e o modesto patriarca Mr. Whittaker (Colin Firth, em excelente desempenho).

Porém, mais do que uma comédia, “Bons Costumes” também cruza caminhos mais dramáticos e com isto se torna ainda mais irresistível por expor tão bem o desejo de amor avassalador de sua personagem, uma figura feminina bem à frente de seu tempo. Assim, é preciso ser justo e vincular grande parte dos méritos de “Bons Costumes” à interpretação maravilhosa de Jessica Biel. Tendo morado na Inglaterra para agarrar o papel e ainda cantado, a atriz foi ovacionada pelo público assim que o filme foi exibido em Roma. Um trabalho que merecia maior reconhecimento de uma jovem intérprete que tem todos os predicados para ser uma grande musa.

Título Original: Easy Virtue
Ano de Produção: 2008
Direção: Stephan Elliott
Elenco: Jessica Biel, Ben Barnes, Kristin Scott Thomas, Colin Firth, Kimberley Nixon, Katherine Parkinson, Kris Marshall, Christian Brassington e Charlotte Riley
Cotação: 4 Stars

4 Comments

  1. Acho a Jessica Biel uma atriz bem subestimada. Ela tem talento e poderia fazer mais filmes como esse e “O Ilusionista” por exemplo. A conferir!

  2. Olá Alex,

    Sou leitor do Cine Resenhas e sou cinéfilo de carteirinha. Eu estou mandando esse email porque estou trabalhando numa empresa que desenvolveu um portal sobre cinema – o Cinema Total (www.cinematotal.com). Um dos atrativos do site é que você cria uma página dentro do site, podendo escrever textos de blog e críticas de filmes. Então, gostaria de sugerir que você também passasse a publicar seus textos no Cinema Total – assim você também atinge o público que acessa o Cinema Total e não conhece o Cine Resenhas.

    Se você gostar do site, também peço que coloque um link para ele no Cine Resenhas.

    Se você quiser, me mande um email quando criar sua conta que eu verifico se está tudo ok.

    Um abraço,

    Marcos

  3. – Kamila, também acho. Ela é uma fofa em todos os sentidos!

    – Marcos, obrigado. Já visitei o Cinema Total. Quando eu estiver com interesse em compartilhar meu trabalho em outros espaços entro em contato. Um abraço!

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: