O Garoto de Liverpool

O Garoto de Liverpool | Nowhere BoyO cineasta inglês Iain Softley (reconhecido por sua versatilidade em projetos como “Asas do Amor”, “K-Pax – O Caminho da Luz” e “A Chave Mestra”) já havia prestado uma pequena homenagem a John Lennon quando ele ainda estava no início da carreira no longa-metragem dramático “Backbeat – Os 5 Rapazes de Liverpool”. Entretanto, o foco não era para o músico incorporado por Ian Hart, mas para Stuart Sutcliffe (interpretado por Stephen Dorff), integrante da fase inicial dos “The Beatles”. Agora Sam Taylor-Wood, diretora também nascida na Inglaterra em seu primeiro trabalho longe do formato de curta-metragem, transforma o seu “O Garoto de Liverpool” um filme direcionado totalmente para John Lennon.

Aaron Johnson, ator de apenas vinte anos que estourou com “Kick-Ass – Quebrando Tudo”, recebe a difícil missão de personificá-lo. A fase de sua vida retratada, como se imagina, é a adolescência. John vivia com a sua tia Mimi (Kristin Scott Thomas), casada com George (David Threlfall). Tratava-se de um trio muito ligado e a morte repentina de George oferece mudanças em John. Transforma-se em uma rapaz rebelde e interessado pela música a partir do momento que ouviu Elvis Presley. O seu passado também o intriga, pois sempre desejou rever os seus pais. É assim que encontra Julia (Anne-Marie Duff), sua mãe, casada com Bobby (David Morrissey).O reencontro é feliz. Mesmo assim, muitas coisas estão mal resolvidas.

Paralelo a este drama familiar, “O Garoto de Liverpool” vai mostrando a ascensão de John Lennon, especialmente ao liderar seu grupo de rock junto com Paul (Thomas Brodie-Sangster). Aqueles que são fãs dos “The Beatles” ficarão encantados em acompanhar estes primeiros passos ao mundo artístico, mas é aconselhável não se entusiasmarem, pois a intenção de “O Garoto de Liverpool” é em encontrar uma resolução na complicada situação que John, Mimi e Julia estão ligados. Talvez por isto o filme seja apenas mediano. Mesmo com os desempenhos conferindo a veracidade exigida, especialmente das espetaculares atrizes Kristin Scott Thomas e Anne-Marie Duff, “O Garoto de Liverpool” apenas processa rapidamente outros acontecimentos essenciais para a formação de caráter de John Lennon, especialmente pela paixão que desperta para a música. Por isto o filme ser pouco visto mesmo com todo o seu apelo.

Título Original: Nowhere Boy
Ano de Produção: 2010
Direção: Sam Taylor-Wood
Roteiro: Matt Greenhalgh, baseado nas memórias de Julia Baird
Elenco: Aaron Johnson, Kristin Scott Thomas, Anne-Marie Duff, David Morrissey, Thomas Brodie-Sangster, Ophelia Lovibond, Josh Bolt, David Threlfall, Kerrie Hayes, James Johnson, Frazer Bird, James Jack Bentham, Jack McElhone, Daniel Ross, Sam Wilmott, John Collins, Sam Bell e Colin Tierney
Cotação: 3 Stars

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

3 Comentários em O Garoto de Liverpool

  1. Não gostei do filme. Achei impressionante a capacidade da direção de anular tão facilmente qualquer sentimento genuíno no filme. Fica tudo robotizado, maniqueísta. Kristin Scott Thomas é o grande atrativo do filme.


  2. * Pedro. Fiquei meio surpreso pelas reações totalmente positivas do público presente na mesma sessão que estive. É um bom filme, mas fica presente aquela sensação de vazio, de que episódios importantes do personagem foram retratados de forma muito superficial.

    * Kamila. Provavelmente você gostará bastante.

1 Trackbacks & Pingbacks

  1. Tweets that mention O Garoto de Liverpool | Cine Resenhas -- Topsy.com

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: