Skip to content

Resenha Crítica | As Múmias do Faraó (2010)


Luc Besson provavelmente é o cineasta francês mais prestigiado em Hollywood. Isto porque o diretor de “Subway”, “Imensidão Azul” e “Nikita – Criada Para Matar” mostrou que tinha energia de sobra para comandar a ação de “O Profissional”, “O Quinto Elemento” e “Joana d’Arc”. Infelizmente, na última década, Luc Besson não fez nada de marcante justamente por não saber preservar a sua imagem de cineasta imaginativo e que oferece diversão ao trabalhar com conceitos bem originais. Tem a autoria de dezenas de roteiros nos últimos dez anos, um pior que o outro.

Na pausa das aventuras que conduz atualmente do pequeno “Arthur”, Luc Besson reservou espaço para adaptar os quadrinhos Jacques Tardi da repórter aventureira Adèle Blanc-Sec (interpretada pela estonteante Louise Bourgoin). No primeiro ato emperrado, fica difícil definir se ela é a verdadeira protagonista de “As Múmias do Faraó”. Isto porque há duas linhas narrativas que serão unidas apenas na metade da projeção. A que foca Adèle Blanc-Sec se passa no Egito, onde a jovem busca por um sarcófago. Já nos acontecimentos paralelos em Paris o destaque fica com o professor paranormal Esperandieu (Jacky Nercessian), que faz com que um ovo de dinossauro se choque usando seus feitiços. Adèle Blanc-Sec procura pelo professor Esperandieu para que ele possa trazer de volta à vida sua irmã. O plano consiste em ressuscitar a múmia do médico de um faraó.

Luc Besson, em bons ou maus momentos, sempre conseguiu acrescentar em seus projetos alguma dose de adrenalina, estando presente também em sua nova realização. O problema é que o desenvolvimento da aventura é muito desorganizado, criando muita antipatia. Apenas quando sabemos o que aconteceu com a irmã de Adèle Blanc-Sec, em um flashback que apresenta um acontecimento original e chocante em uma quadra de tênis, é que a mão de Luc Besson parece menos pesada. Ao menos Luc Besson continua sendo um expert no momento de escolher as suas protagonistas femininas. Louise Bourgoin, revelada no ano passado como a mulher do tempo Audrey Varella em “A Garota de Mônaco”, é uma intérprete adorável e sua presença enriquece “As Múmias do Faraó”. Também não deixem de reparar na breve presença de um irreconhecível Mathieu Amalric.

Título Original: Les aventures extraordinaires d’Adèle Blanc-Sec
Ano de Produção: 2010
Direção: Luc Besson
Roteiro: Luc Besson, baseado nos quadrinhos de Jacques Tardi
Elenco: Louise Bourgoin, Gilles Lellouche, Jean-Paul Rouve, Jacky Nercessian, Philippe Nahon, Nicolas Giraud, Laure de Clermont-Tonnerre, Gérard Chaillou, Serge Bagdassarian e Mathieu Amalric
Cotação: **

7 Comments

  1. Se até você não gostou deste… me interessei só pelo Amalric, mas ainda assim é uma curta aparição. Vejo se cair nas minhas mãos.

  2. Não sabia que Besson ainda dirigia. rsrsrs. Mas, a premissa não me despertou o interesse. Pena!

  3. O cinema de Luc Besson, dificilmente, me agrada!

  4. […] Richard fica inconformado e solicita a companhia de Kate para viajar para Paris em busca de satisfações. Quando são chutados sem cerimônia do edifício do sujeito, eles armam um plano que o título considera brilhante: roubar um colar de diamante no valor de 10 milhões de dólares que o empresário comprou para a sua noiva (a fofa Louise Bourgoin, de “A Garota de Mônaco” e “As Múmias do Faraó“). […]

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: