Resenha Crítica | Resident Evil 4: Recomeço (2010)

A crítica especializada e até mesmo parcela do público torcem o nariz, mas o sucesso da franquia cinematográfica “Resident Evil” continua assegurado. Nos Estados Unidos a arrecadação estacionou no valor que iguala o orçamento de “Resident Evil 4: Recomeço”. Já mundialmente o quadro inverte, com aproximadamente 300 milhões de dólares somados. É um dado importante para esta adaptação do game homônimo desenvolvida pela Capcom, que desde “Resident Evil – O Hóspede Maldito” foi evoluindo tecnicamente até chegar neste quarto episódio filmado em 3D.

Aqui, Alice (Milla Jovovich) busca por sobreviventes no Alasca após enfrentar, junta aos seus clones de “Resident Evil 3: A Extinção”, o ameaçador Wesker (Shawn Roberts). Reencontra Claire Redfield (Ali Larter), que perde temporariamente a memória após mais um truque da poderosa Umbrella Corporation, a verdadeira responsável pela criação do T-Virus que transformou toda a população em zumbis. Guiando um grupo de sobreviventes, entre eles o ator Luther West (Boris Kodjoe) e o irmão de Claire, Chris Redfield (Wentworth Miller), Alice permanece obstinada em eliminar todos os rastros da Umbrella Corporation, nem que para isto tenha que enfrentar mais uma vez Wesker.

Como se pode notar, a premissa é praticamente a mesma dos episódios anteriores, nesta batalha que será prolongada para a existência de um quinto filme (a atriz Milla Jovovich fez a confirmação ao testemunhar o sucesso de estreia deste capítulo mais recente). O diferencial é a turbinada que a produção ganhou com o retorno de Paul W.S. Anderson a direção (o marido de Milla Jovovich a dirigiu apenas em “Resident Evil – O Hóspede Maldito”). Com enxutos 60 milhões de dólares, “Resident Evil 4: Recomeço” nos faz esquecer de todo o 3D fajuto visto na maioria das produções de 2010, que foram apenas submetidas a uma conversão do formato para arrecadar mais na bilheteria. A experiência é memorável, podendo se registrar com os óculos especiais as melhores sequências de ação do ano passado. É o melhor 3D já feito (inclusive superando o trabalho de James Cameron em “Avatar”) e, por isto mesmo, o filme de terror/ficção mas lindo dos últimos tempos.

Título Original: Resident Evil: Afterlife
Ano de Produção: 2010
Direção: Paul W.S. Anderson
Elenco: Milla Jovovich, Ali Larter, Wentworth Miller, Shawn Roberts, Boris Kodjoe, Kim Coates, Sergio Peris-Mencheta, Spencer Locke, Kacey Barnfield, Norman Yeung, Fulvio Cecere, Ray Olubowale e Sienna Guillory

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

2 Comentários em Resenha Crítica | Resident Evil 4: Recomeço (2010)

  1. Eu não vi o terceiro e faz tempo que vi os primeiros e é uma série que não tem minha admiração nos cinemas. E seus comentários me deram um aperto por não ter visto numa sessão 3D :(

5 Trackbacks & Pingbacks

  1. Tweets that mention Resident Evil 4: Recomeço « Cine Resenhas -- Topsy.com
  2. Melhores de 2010 – Indicados « Cine Resenhas
  3. Melhores de 2010: Efeitos Visuais « Cine Resenhas
  4. Retrospectiva 2011 « Cine Resenhas
  5. Resident Evil 5 – Retribuição | Cine Resenhas
Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: