Resenha Crítica | Alice no País das Maravilhas (2010)

Dono de uma filmografia que prima por narrativas passadas em universos fantásticos e góticos, Tim Burton por anos foi o nome apropriado caso uma produção de “Alice no País das Maravilhas” fosse encomendada. Pois foi exatamente o que aconteceu. O público compareceu aos montes para apreciar o aguardado trabalho, contribuindo para que “Alice no País das Maravilhas” entrasse no seleto grupo de títulos a arrecadar mais de um bilhão de dólares em bilheteria mundial, embora o 3D convertido apenas razoável tenha ajudado a chegar neste valor.

Ao contrário do que se esperava, “Alice no País das Maravilhas” não é uma refilmagem da animação Disney produzida em 1951, mas uma espécie de continuidade daquela história, pois a roteirista Linda Woolverton se apoiou mais no livro “Alice no País dos Espelhos”, também de Lewis Carroll, com a protagonista Alice (interpretada por Mia Wasikowska) já adolescente e prestes a ser prometida para um casamento que não deseja selar. Fugindo da situação, embarca novamente e meio sem querer no País das Maravilhas, universo que ela acredita ter habitado apenas em seus sonhos.

Alice não é estranha para as bizarras figuras que habitam o lugar, como o Chapeleiro Maluco (Johnny Depp). A sua missão, importante também para o seu processo de amadurecimento no mundo real, consiste em “destronar” a Rainha Vermelha (Helena Bonham Carter, sensacional), que converteu em trevas toda a paz do País das Maravilhas, antes sob o domínio da Rainha Branca (Anne Hathaway, numa caricatura hilariante).

Com trabalhos de filmagens e efeitos-especiais de aproximadamente um ano e meio, o apuro técnico de “Alice no País das Maravilhas” é de cair o queixo. O elenco praticamente se virou em cenários construídos através de fundo verde e atores como Helena Bonham Carter e Crispin Glover tiveram todo o corpo moldado digitalmente. Já a narrativa de “Alice no País das Maravilhas” parece não ter correspondido todas as expectativas, talvez equivocadas. Isto porque o longa-metragem cumpre perfeitamente com o que se espera de uma mistura entre as peculiaridades de Tim Burton e todo o encanto e ternura das produções Disney.

Título Original: Alice in Wonderland
Ano de Produção: 2010
Direção: Tim Burton
Roteiro: Linda Woolverton, baseado nos livros de Lewis Carroll
Elenco: Mia Wasikowska, Johnny Depp, Helena Bonham Carter, Anne Hathaway, Crispin Glover, Matt Lucas, Marton Csokas e vozes de Michael Sheen, Stephen Fry, Alan Rickman, Barbara Windsor, Paul Whitehouse e Timothy Spall

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

5 Comentários em Resenha Crítica | Alice no País das Maravilhas (2010)

  1. Nao sou mto fã da junção de Burton com Disney. Achei o roteiro bem falho, ate no sentido de fazer com que criamos certo carisma com os personagens. Mesmo não sendo culpa de Depp, seu personagem nao atingiu tamanho impacto como o de Helena por exemplo. Sei que nao se compara este com os demais de Burton tao bem feitos como Edward Maos de Tesoura. Mas se fosse pra comparar, pode-se dizer que Burton esqueceu de conceitos e se preocupou mais com a imagem neste Alice. O final tosquinho de aventura sem dar mto sentido para este objetivo da protagonista contribuiu para que minhas expectativas fossem lavadas por decepção… Espero dias melhores para Burton…

    Abs!

  2. Um filme infinitamente inferior ao clássico Disney, com atuações bem fracas (salvo Helena Bonham Carter). O visual fantástico salva o longa, afastando-o do intragável, mas se pararmos para analisar, o que mais existe por aí é conjunto podre escondido atrás de espetáculos de imagem, luz e som.

  3. Acho que você foi o primeiro à falar bem do filme. A protagonista é tão apagada, coitada, não sei se devido ao roteiro que é cheio de coisas vergonhosas – o que foi aquela dancinha de Johnny Depp no final? – ou se a atriz é que é fraca mesmo. O cenário é lindo, com certeza, mas não acho que salva o filme que é cheio de lugares-comum do Tim Burton.

  4. Opa! Mais um que gostou do filme! :) Eu achei bem realizado. A Helena Bonham Carter rouba a cena. Só acho que faltou mais ousadia por parte do Tim Burton. E eu esperava isso dele. Poxa, a história pedia ousadia…

17 Trackbacks & Pingbacks

  1. Melhores de 2010 – Indicados « Cine Resenhas
  2. Melhores de 2010: Direção de Arte « Cine Resenhas
  3. Melhores de 2010: Maquiagem « Cine Resenhas
  4. Melhores de 2010: Efeitos Visuais « Cine Resenhas
  5. Melhores de 2010: Figurino « Cine Resenhas
  6. Melhores de 2010: Canção « Cine Resenhas
  7. Melhores de 2009: Elenco « Cine Resenhas
  8. Melhores de 2010: Atriz Coadjuvante « Cine Resenhas
  9. Melhores de 2010: Filme « Cine Resenhas
  10. 10 Melhores Filmes de 2010 « Cine Resenhas
  11. Melhores de 2011: Efeitos Visuais « Cine Resenhas – 5 Anos
  12. Melhores de 2011: Figurino « Cine Resenhas – 5 Anos
  13. Sombras da Noite | Cine Resenhas
  14. Frankenweenie | Cine Resenhas
  15. Melhores de 2012: Efeitos Visuais | Cine Resenhas
  16. Melhores de 2012: Figurino | Cine Resenhas
  17. Oz – Mágico e Poderoso | Cine Resenhas

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: