Santuário

Às alturas com a popularidade de “Avatar” (atualmente a maior bilheteria da história do cinema), James Cameron fez uma série de afirmações animadoras a respeito de “Santuário”, aventura rodada na Austrália da qual é produtor executivo. A mais forte delas foi de que este filme conduzido por Alister Grierson proporcionaria uma experiência em 3D superior a “Avatar“. O exagero frustrou muitos espectadores e tornou o filme um fracasso nos cinemas americanos.

Na história, Frank (Richard Roxburgh, de “Moulin Rouge – Amor em Vermelho”) lidera uma equipe de mergulhadores para uma expedição na maior caverna da Austrália. Uma tempestade faz parte da equipe ficar presa no local, que inclui o filho de Frank, Josh (Rhys Wakefield), o patrocinador Carl (Ioan Gruffudd) e a namorada deste, Victoria (Alice Parkinson). A situação se agrava quando todos os ambientes explorados são inundados.

Os problemas de “Santuário” vão além da maneira como foi vendido por James Cameron. Sem um roteiro inspirado, o elenco é obrigado a encarar personagens com reações previsíveis diante do perigo. Quem se saí pior neste sentido é Ioan Gruffudd, cujo papel se converte de vítima para vilão. Mesmo com esses incômodos, “Santuário” sobrevive como experiência claustrofóbica. Há vários momentos que realmente tiram o nosso fôlego, uma recompensa satisfatória para um filme que não tem muito para oferecer.

Título Original: Sanctum
Ano de Produção: 2011
Direção: Alister Grierson
Roteiro: Andrew Wight e John Garvin
Elenco: Richard Roxburgh, Rhys Wakefield, Ioan Gruffudd, Alice Parkinson, Dan Wyllie, Christopher Baker, Nicole Downs, Allison Cratchley, Cramer Cain, Andrew Hansen, John Garvin, Sean Dennehy e Nea Diap
Cotação: 3 Stars

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

4 Comentários em Santuário

  1. Esse filme é muito interessante. Eu gostei muito do clima que foi sendo construído, não só aquele clima claustrofóbico, como o clima de tensão. Acho que, apesar de algumas falhas no roteiro, nada compromete muito o resultado final. “Santuário” vale a conferida.

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: