Skip to content

Resenha Crítica | Lixo Extraordinário (2010)

Em 2009, o Museu de Arte Moderna abrigou uma exposição que registrou um dos maiores números de visitas em toda a história do espaço. Era o trabalho do artista plástico Vik Muniz, brasileiro radicado em Nova York que criou belos retratos usando materiais recolhidos no Jardim Gramacho, o maior aterro sanitário do mundo. Porém, visualizar de perto a criatividade e beleza das imagens não seria suficiente para nos aproximarmos da experiência que elas representaram para Vik Muniz e todos os envolvidos. “Lixo Extraordinário”, indicado ao Oscar de melhor documentário e vencedor do prêmio de público no Festival de Sundance, surge para criar este vínculo.

Também indicada ao Oscar neste último ano pelo documentário “The Tsunami and the Cherry Blossom”, Lucy Walker se juntou com Karen Harley (editora dos recentes “Viajo Porque Preciso, Volto Porque te Amo” e “A Festa da Menina Morta”) e João Jardim (realizador de “Amor?”) para acompanhar Vik Muniz durante todo o processo de criação de seu novo trabalho. Processo este que durou aproximadamente dois anos e que consistia em montar uma equipe de catadores de materiais recicláveis no Jardim Gramacho.

Conhecemos assim indivíduos sem grandes perspectivas devido as adversidades constantes em suas vidas que os levaram a ingrata situação que estão. Entre eles, temos o presidente da ACAMJG (Associação dos Catadores do Aterro Metropolitano de Jardim Gramacho) Tião, a jovem mãe de dois filhos Suelem, Isis, uma mulher que detesta todo o trabalho como catadora, e Zumbi, catador de materiais recicláveis desde os nove anos de idade que toma para si todos os livros desprezados no Jardim Gramacho.

Maravilhosas, as artes criadas por Vik são realizadas através de fotografias que ele tirou de cada catador voluntário. Num esforço conjunto, os retratos são ampliados e preenchidos por inúmeros materiais coletados no Jardim Gramacho. Neste registro não fica de fora o panorama de histórias tristes traçadas por cada um desses personagens. Com isto, “Lixo Extraordinário” se transforma em um documentário irretocável não em carregar no drama das histórias que esses catadores têm para contar, mas em apontar a arte como agente de um recomeço que eles tanto mereciam.

Título Original: Waste Land
Ano de Produção: 2010
Direção: Lucy Walker
Com: Vik Muniz
Cotação: [5star.jpg]

6 Comments

  1. Eu sou fã absoluta desse filme, especialmente pela forma como mostra a arte: como uma espécie de alternativa na vida das pessoas, como um caminho benéfico a ser seguido e traçado. Você vê que a convivência dessas pessoas com Vik Muniz exerceu influência positiva na vida de cada um deles.

  2. walter walter

    Não é o zumbi que lê os livros e sim o tião

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: