Skip to content

Resenha Crítica | Hotel da Morte (2011)

Desde que estreou em “Ataque dos Morcegos”, Ti West vem se mostrando uma grande promessa como diretor de filmes de terror. O jovem americano é um raro talento no resgate dos elementos que moldaram os clássicos filmes B e atingiu seu ápice em “The House of the Devil”, cuja história é ambientada em plenos anos 1980. Em “Hotel da Morte”, Ti West pode situar os acontecimentos nos dias de hoje, mas toda a atmosfera aterradora de produções do gênero da década de 1970 e 1980 está presente.

O hotel Yankee Pedlar Inn serve de cenário principal para “Hotel da Morte”. O antigo edifício será demolido e Claire (Sara Paxton, excelente) e Luke (Pat Healy) são os únicos funcionários presentes para atenderem os poucos hóspedes que ainda ocupam algum quarto. Diante do marasmo (afinal, não há nada para fazer em um lugar praticamente abandonado), a dupla decide passar o tempo investindo em um hobby pouco comum: desvendar a presença de alguma alma penada através de equipamentos de FVE (Fenômeno de Voz Eletrônica). A brincadeira toma ares sinistros quando surgem evidências de que o hotel é mal-assombrado, algo intensificado com a presença de Leanne Rease-Jones (Kelly McGillis, que fez o interesse romântico de Tom Cruise em “Top Gun – Ases Indomáveis”) uma médium que no passado era uma estrela televisiva.

Assim como em “The House of the Devil”, “Hotel da Morte” privilegia um modelo de condução onde o terror é crescente. O que seduz no filme não é o seu desespero em atirar informações e sustos a cada minuto e sim a decisão de Ti West em nos deixar no escuro. O medo é constante devido o poder da sugestão e a notável direção de arte só auxilia na criação de um cenário ameaçador cercado pelo sobrenatural.

É uma pena que toda esta minúcia resulte em um ato final que reverte todas essas ideias iniciais tão bem executadas. Chega-se ao momento em que é preciso manifestar aquilo que antes estava oculto e isto se dá com aparições fantasmagóricas que nem de perto provocam o mesmo incômodo daquilo que Claire e Luke não conseguiam compreender. Além do mais, não há qualquer plausibilidade nas explicações do que assombrava o hotel Yankee Pedlar Inn, tornando a resolução ainda menos recompensadora.

Um mapeamento na filmografia de Ti West revela um realizador com problemas ao desenhar a conclusão de suas obras. De qualquer modo, o seu talento singular em preservar um estilo tão ausente no cinema contemporâneo é digno de aplausos. Com uma carreira ainda em gestação, tudo indica que o cineasta evoluirá surpreendentemente, possibilitando futuras oportunidades para tornar o seu nome ainda mais forte.

Título Original: The Innkeepers
Ano de Produção: 2011
Direção: Ti West
Roteiro: Ti West
Elenco: Sara Paxton, Pat Healy, Alison Bartlett, Jake Ryan, Lena Dunham, George Riddle, Brenda Cooney, John Speredakos e Kelly McGillis

One Comment

  1. […] em ambientes fantasmagóricos. Além de nomes como Ti West (de “The House of the Devil” e “Hotel da Morte”), James Wan tem feito isso obtendo grande […]

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: