Skip to content

Resenha Crítica | Um Negócio Nada Seguro (2011)

Miguel Arteta é um dos cineastas independentes mais originais em atividade. Na maioria dos seus trabalhos, conseguiu extrair de personagens comuns histórias inusitadas e envolventes. Infelizmente, o público não tem dado a devida atenção aos seus filmes, todos com tímidos rendimentos de bilheteria. A boa notícia é que sem trabalhar com a pressão de grandes estúdios, Miguel Arteta continua com a liberdade artística intacta, como prova “Um Negócio Nada Seguro”, filme que chega ao Brasil direto em DVD com um ano e meio de atraso.

O título original, Cedar Rapids, é o nome de uma cidade do estado norte-americano de Iowa. É para lá que Tim Lippe (interpretado pelo carismático Ed Helms, de “Se Beber, Não Case”), um vendedor de seguros com a missão de representar sua empresa em uma convenção. Careta, Tim parece deslocado longe de Macy Vanderhei (Sigourney Weaver, em uma participação inspiradíssima), uma professora com quem tem um relacionamento aberto. As preocupações profissionais e pessoais vão para o espaço quando ele conhece Dean (John C. Reill), Ronald (Isiah Whitlock Jr.) e Joan (Anne Heche), também vendedores de seguros que irão farrear na maior parte do tempo em Cedar Rapids.

Mesmo que a história sempre indique as práticas fraudulentas da empresa em que Tim trabalha, o que torna “Um Negócio Nada Seguro” acima da média é o perfil que desenha do personagem, um sujeito que passou os seus trinta e quatro anos de vida de forma careta. A estadia em Cedar Rapids fará Tim amadurecer e só o fato de Dean, Ronald e Joan serem pessoas tão simpáticas quanto ele a comédia se torna ainda mais irresistível, comprovando a habilidade de Miguel Arteta na criação de dinâmica entre personagens.

Título Original: Cedar Rapids
Ano de Produção: 2011
Direção: Miguel Arteta
Roteiro: Phil Johnston
Elenco: Ed Helms, John C. Reilly, Anne Heche, Isiah Whitlock Jr., Stephen Root, Kurtwood Smith, Alia Shawkat, Thomas Lennon, Rob Corddry, Mike O’Malley, Inga R. Wilson, Mike Birbiglia, Seth Morris e Sigourney Weaver

2 Comments

  1. Desconheço os filmes do diretor, mas vi que ele dirigiu alguns episódios de Six Feet Under, uma das melhores séries que já acompanhei.
    Me parece uma boa comédia.

    • Bruno, pois então veja “Por Um Sentido na Vida”, que é excelente. “A Sete Palmos” é um dos meus pecados, pois jamais assisti. De qualquer forma, o seriado está na minha lista, só preciso terminar outros seriados que estavam a mais tempo nas minhas prioridades.

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: