A Casa Silenciosa

Exibido ano passado no circuito nacional, o uruguaio “A Casa” despertou a curiosidade em inúmeros espectadores por obter um feito curioso: contar uma história em um único plano-sequência. Até o momento, o único filme conhecido ao fazer este experimento com sucesso foi “Arca Russa”, filme de 2002 dirigido por Alexandr Sokurov. Ok, o espectador mais atento conseguia ver, sem muitas dificuldades, os cortes durante a narrativa. O que valia era o medo crescente, daqueles de fazer qualquer um dormir com a luz acessa. Se o remake “A Casa Silenciosa” tinha algo para contribuir seria a melhora na história, pois “A Casa” desapontava por uma resolução aquém das expectativas. Porém, de bom nesta refilmagem americana só mesmo a presença de Elizabeth Olsen, que confirma aqui o talento já notado em “Martha Marcy May Marlene“.

Fiz para o Cenas de Cinema uma crítica para “A Casa Silenciosa”. Para ler, basta clicar aqui.

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

Be the first to comment

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: