Skip to content

Resenha Crítica | A Escolha Perfeita (2012)

A Escolha Perfeita | Pitch PerfectNão há dúvidas de que “Glee” inovou a televisão americana ao se apresentar como um musical contemporâneo. No entanto, a superficialidade com que os roteiristas lidavam com os personagens estereotipados e seus dramas particulares se revelou algo exaustivo para aqueles que acompanharam com interesse o seriado no início de 2009. Porém, até que isto se estabelecesse, o público-alvo de “Glee”, justamente os adolescentes, já estava dando replay nas versões moderninhas de canções como “Don’t Stop Believin’”, do “Journey”.

Os planos de apresentar para a nova geração clássicos do rock e pop com uma nova roupagem eram arriscados, mas o sucesso veio imediatamente. “A Escolha Perfeita”, longa-metragem de estreia de Jason Moore (que tem em seu currículo a direção de alguns episódios de “Dawson’s Creek” e “Brothers & Sisters”) guarda muitas similaridades com “Glee”, mas se mostra infinitamente superior no que se diz respeito a construção de personagens e números musicais vibrantes.

Indicada ao Oscar por “Amor Sem Escalas”, Anna Kendrick é Beca, uma jovem que vislumbra um futuro como profissional no ramo musical. Mesmo contra sua própria vontade, ela se matricula na Universidade Barden, instituição em que o seu pai (John Benjamin Hickey) é professor. Assim como acontece com o protagonista de “Glee”, o talento vocal de Beca é descoberto enquanto ela canta no chuveiro. Chloe (Brittany Snow), aquela que a flagra soltando a voz descompromissadamente, a convida para participar da fraternidade em que a careta Aubrey (Anna Camp) é líder. Beca se mostra pouco entusiasmada, mas é encorajada pelo seu pai a fazer amizade com essas moças que aspiram vencer um concurso musical anual.

Além de Beca, Chloe e Aubrey, “A Escolha Perfeita”, que é inspirado em um livro escrito por Mickey Rapkin e produzido por Elizabeth Banks (que faz uma participação especial como uma comentarista musical sem papas na língua), tem outros personagens carismáticos. Jesse (Skylar Astin) é colega de trabalho e rival de Beca, mas provará ser um bom sujeito como potencial interesse amoroso. Mas as maiores surpresas ficam por conta da espevitada Fat Amy (Rebel Wilson, que está conquistando Hollywood rapidamente) e Lilly (Hana Mae Lee), uma garota que profere frases bizarras em voz inaudível.

Como se espera, as músicas de “A Escolha Perfeita” são usadas em cena nos mesmos moldes de “Glee”. Além de muito autotune (uma ferramenta que corrige as imperfeições na voz de um cantor), há também os já famosos mashups, nome dado a uma junção de duas ou mais canções distintas. Felizmente, o resultado obtido não incomoda devido ao inspirado elenco, que protagoniza ótimos embates musicais. Além do mais, “A Escolha Perfeita” tem um delicioso clima de matinê oitentista tão difícil de se ver em produções contemporâneas. Provável fã de John Hughes,  Jason Moore não deixa de citar “O Clube dos Cinco”, obra que fará a protagonista Beca enxergar a juventude, a música e o cinema com outros olhos.

Título Original: The Pitch Perfect
Ano de Produção: 2012
Direção: Jason Moore
Roteiro: Kay Cannon, baseado no livro de Mickey Rapkin
Elenco: Anna Kendrick, Skylar Astin, Ben Platt, Brittany Snow, Anna Camp, Rebel Wilson, Alexis Knapp, Ester Dean, Hana Mae Lee, Kelley Jakle, Wanetah Walmsley, Shelley Regner, Caroline Fourmy, Nicole Lovince, Adam DeVine, Utkarsh Ambudkar, Michael Viruet, David Del Rio, Elizabeth Banks, John Michael Higgins, John Benjamin Hickey e Christopher Mintz-Plasse

2 Comments

  1. Kay Cannon é uma das roteiristas de “30 Rock”, gosto do trabalho dela! Mas, esse filme me parece ser meio regular. Assistiria se não tivesse outra opção, pra ser bem sincera.

  2. filme extremamente divertido, vale a pena… a comparação com Glee era inevitável, mas certamente o filme é bem melhor.

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: