Skip to content

Resenha Crítica | O Massacre da Serra Elétrica 3D – A Lenda Continua (2013)

O Massacre da Serra Elétrica 3D - A Lenda Continua | Texas Chainsaw 3DQuase quatro décadas se passaram e “O Massacre da Serra Elétrica” segue como um dos filmes mais assustadores do segmento slasher, famoso e barato subgênero cujo maior atrativo está em acompanhar assassinos em série mascarados à caça de jovens vítimas hospedadas ou perdidas em locais em que não há ninguém para ajudá-las.  Trata-se do maior feito artístico e comercial de Tobe Hopper, cuja carreira não prosseguiu a contento mesmo assinando os divertidos “Poltergeist – O Fenômeno” e “Pague Para Entrar, Reze Para Sair”.

Diferente das outras encarnações de Leatherface, o novo “O Massacre da Serra Elétrica 3D – A Lenda Continua” assume a responsabilidade de se apresentar como uma espécie de continuação direta do clássico de Tobe Hopper. O faz a princípio de modo promissor ao resgatar para a sua abertura as cenas mais chocantes do original como método de envolver as novas gerações.

O respeito à cronologia inexiste. Seguindo os eventos à risca, “O Massacre da Serra Elétrica 3D – A Lenda Continua” deveria se situar ao final do século passado, mas objetos de cena (como o aparelho móvel de última geração usado por um policial) e cenários explorados são contemporâneos.

Cansada da vida que leva, Heather Miller (Alexandra Daddario) tem aproximadamente 20 anos e, filha adotiva, é surpreendida ao receber a mansão Sawyer no Texas como herança de uma avó cuja existência desconhecia. Migra para a cidadezinha na primeira oportunidade e arrasta para lá seu namorado Ryan (Trey Songz) e os amigos Nikki (Tania Raymonde) e Kenny (Keram Malicki-Sánchez) – Darryl (Shaun Sipos) é uma adição ao grupo, um sujeito presunçoso que implora por carona em uma noite chuvosa.

Logo no primeiro dia de hospedagem na bela residência, Leatherface (Dan Yeager) trata de recepcioná-los de modo pouco cordial. Oculto no porão, Leatherface reativa suas ferramentas de matança quando Darryl, sozinho, explora os cômodos em busca de objetos como talheres para roubar. Até aí, o público já desconfia que haja um segredo de sangue entre Heather, cuja presença desperta a desconfiança e ira de alguns velhos inimigos da família Sawyer, e Leatherface.

A surpresa reservada para o terceiro ato, que acontece através da mudança de comportamento da protagonista e outros personagens secundários diante do perigo materializado através de Leatherface, envolve uma amoralidade que se assemelha a sutileza de se assistir a um corpo dividido em dois com o uso de uma motosserra. Ao mesmo tempo em que provoca repulsa até mesmo nos fãs mais fervorosos da franquia, é o que garante relevância ao filme, que até então se contentara com as artimanhas infantis de John Luessenhop, realizador da fita, em promover impacto com sanguinolência em terceira dimensão.

Texas Chainsaw 3D , 2013 | Dirigido por John Luessenhop | Roteiro de Adam Marcus, Debra Sullivan e Kirsten Elms, baseado nos personagens de Kim Henkel e Tobe Hooper | Elenco: Alexandra Daddario, Dan Yeager, Trey Songz, Scott Eastwood, Tania Raymonde, Shaun Sipos, Keram Malicki-Sánchez, James MacDonald,  Thom Barry, Paul Rae, Richard Riehle e Bill Moseley | Distribuição: Europa Filmes

3 Comments

  1. Não sou a maior fã dos filmes de suspense/terror, então, de uma certa maneira, dispenso esse “O Massacre da Serra Elétrica 3D”, apesar de achar essa franquia uma das poucas que são competentes no gênero.

    • Kamila, mas se você acha a franquia competente, para quê vai dispensar o filme? Eu arriscaria uma espiada.

  2. […] “Velozes e Furiosos 6″, “Se Beber, Não Case! – Parte III”, “O Massacre da Serra Elétrica 3D – A Lenda Continua” e “O Último Exorcismo – Parte […]

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: