Skip to content

Vampiras

Vampiras | Vamps

A americana Amy Heckerling apresenta tropeços em sua breve filmografia, mas isso não impede que ela seja uma cineasta importante quando se analisa as obras que definiram o cinema adolescente oitentista e noventista. Assim como “Clube dos Cinco” e “Curtindo a Vida Adoidado”, ambos de John Hughes, Heckerling conseguiu através de “Picardias Estudantis” (1982) e “As Patricinhas de Beverly Hills” (1995) fazer uma astuta radiografia de jovens totalmente envoltos na sociedade em que estão inseridos, seja vivendo a liberdade dos tempos do “sexo, drogas e rock n’ roll”, seja experimentando as consequências de sobreviver através do consumismo.

Por incrível que pareça, “Vampiras” não é uma obra que espelha a geração atual. Muito pelo contrário, Amy Heckerling parece descrente de uma juventude antenada em comunicação e fenômenos instantâneos. Goody (Alicia Silverstone, ainda radiante) é uma vampira com quase dois séculos de existência e que “vive” o século XXI de modo totalmente deslocado. Manhattan se mostra um refúgio ingrato e, embora ela se contente com “Green Day”, o cenário musical, os points e até as os humanos ao seu redor não a entusiasmam como em décadas atrás.

Ao menos Goody tem a companhia da amiga Stacy (Krysten Ritter) como consolo, uma jovem que ela transformou em vampira em meados dos anos 1990. Ao invés de seguirem os seus instintos mais primitivos, Googy e Stacy não aprovam o consumo de sangue humano para sobreviverem. Para saciarem a fome, elas preferem trabalhar como exterminadoras de pestes e sugar o sangue de ratos através de canudos e participarem dos encontros no V.A., os Vampiros Anônimos.

Não permitir que os seus impulsos ajam é quase moleza, mas armadilhas não faltarão quando elas se apaixonarem por meros mortais. Se Goody não consegue esconder os seus sentimentos por Danny (Richard Lewis), um namorado que abandonou lá nos anos 1960, Stacy mal sabe os riscos que irá se expor ao assumir seu relacionamento com Joey (Dan Stevens), filho do ilustre doutor Van Helsing (Wallace Shawn), um senhor obstinado em eliminar Ciccerus (Sigourney Weaver), a rainha dos vampiros.

Em “Vampiras”, Amy Heckerling busca resgatar muitos elementos que eternizaram aquelas comédias que assistíamos com frequência na “Sessão da Tarde” durante nossa infância. É tudo meio deslocado do nosso tempo, especialmente os efeitos especiais, que parecem saídos de um horror trash. Trata-se de um convite para embarcar em uma comédia divertida e, acima de tudo, melancólica sobre a dificuldade de Goody em viver o presente com o seu espírito aprisionado ao passado. Os mais nostálgicos podem se comover diante da bela conclusão.

Vamps, 2012 | Dirigido por Amy Heckerling | Roteiro de Amy Heckerling | Elenco: Alicia Silverstone, Krysten Ritter, Sigourney Weaver, Wallace Shawn, Richard Lewis, Dan Stevens, Justin Kirk, Marilu Henner, Kristen Johnston, Zak Orth, Larry Wilmore, Meredith Scott Lynn e Malcolm McDowell | Distribuidora: California Filmes

Be First to Comment

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: