Skip to content

Um Garrafa no Mar de Gaza

Uma Garrafa no Mar de Gaza | Une bouteille à la mer

A existência do livro “Uma Garrafa no Mar de Gaza” e a sua adaptação cinematográfica prova que ainda há espaço para um trabalho maduro dentro do cada vez mais fantasioso mercado juvenil. Escrito por Valérie Zenatti, “Uma Garrafa no Mar de Gaza” sustenta elementos que fisgam os adolescentes (a possível concretização de uma paixão dado como impossível, os anseios, a transição da adolescência para a fase adulta) e o acerto do cineasta Thierry Binisti (especialista em produções televisivas) está em preservá-los através da supervisão da própria Zenatti no roteiro para a versão cinematográfica.

Na primeira cena de “Uma Garrafa no Mar de Gaza”, o irmão de Tal Levine (Agathe Bonitzer), Eytan (Abraham Belaga), está prestando serviços militares em um mar de Gaza e imediatamente lança uma garrafa contendo uma carta dentro. O costume costuma evidenciar que alguém busca por um amor anônimo, mas não é essa a motivação de Eytan. Na verdade, a carta foi escrita pela própria Tal. Trata-se de um desabafo após testemunhar de perto uma tragédia em Jerusalém: um homem-bomba agiu dentro de um café, matando duas pessoas cujas histórias chamaram a atenção de Tal; um pai na companhia de sua jovem filha, que logo a seguir iria se casar.

Embora a garrafa tenha sido encontrada pelo primo de Naïm (Mahmud Shalaby), Hakim (Loai Nofi), ele acaba levando-a consigo, pois a mensagem foi escrita em inglês e é o único capaz de traduzi-la. Depara-se com o relato de Tal, algumas palavras amargas e o e-mail dela. Por serem jovens presos em realidades muito distintas, Naïm decide correr o risco de respondê-la com palavras pouco amigáveis e assinando Gazaman. No entanto, os embates verbais acabam tornando-os pessoas mais próximas, pois tanto Tal e Naïm são drasticamente mudados com essa amizade que se desenha.

O incessante confronto entre palestinos e israelenses ganha em “Uma Garrafa no Mar de Gaza” uma encenação que permite dar uma ideia mais clara das divergências existentes entre dois grupos com culturas tão distintas. Enquanto Tal guarda dentro de si uma fúria inquietante, Naïm sofre as consequências de uma guerra do qual não deseja participar, encontrando nos conselhos de Tal a primeira perspectiva positiva para mudar totalmente a sua vida, uma vez que passa a estudar francês fervorosamente para tentar obter uma bolsa de estudos que lhe garanta o passe para sair de Gaza. Bom filme para frisar que lá fora há jovens com crises muito mais profundas do que os problemas mundanos em que buscamos inserir um peso inexistente.

Une bouteille à la mer, 2011 | Dirigido por Thierry Binisti | Roteiro de Thierry Binisti e Valérie Zenatti, baseado no romance homônimo de Valérie Zenatti | Elenco: Agathe Bonitzer, Mahmud Shalaby, Hiam Abbass, Riff Cohen, Abraham Belaga, Jean-Philippe Écoffey, Smadi Wolfman, Salim Dau, Loai Nofi, François Loriquet, Abdallah El Akal e Max Olearchik | Distribuidora: Esfera Filmes

Be First to Comment

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: