Skip to content

Ponto Crítico – Mai/13

Ponto Crítico (Mai-13)

Saudações cinéfilas!

Os últimos dois meses foram um dos mais tumultuados já vividos. Os apuros em cobrir apropriadamente a 37ª edição da Mostra Internacional de Cinema e um semestre universitário trabalhoso impossibilitaram que o Ponto Crítico seguisse com suas atualizações frequentes. De qualquer modo, o fim de 2013 está aí e finalmente há um intervalo para correr atrás de todos os atrasos.

Enquanto o Ponto Crítico de Junho atualmente se encontra em processo de elaboração, apresento hoje os resultados do Ponto Crítico de Maio. O documentário nacional mais visto no ano “Elena” conquistou uma excelente aprovação e está em primeiro lugar em nossa tabela. Aliás, o mês se mostrou muito favorável ao gênero, uma vez que “Doméstica” aparece em segundo lugar. Por fim, mais um nacional com destaque na lista, mas agora de ficção: “Faroeste Caboclo” está em quarto lugar com uma média de 75%.
Outra curiosidade é que os filmes que mais desagradaram aos blogueiros foram as sequências. Nas últimas posições, temos quatro delas: “Velozes e Furiosos 6”, “Se Beber, Não Case! – Parte III”, “O Massacre da Serra Elétrica 3D – A Lenda Continua” e “O Último Exorcismo – Parte 2”.

Até a próxima edição!

.

TOP 5

81Elena, de Petra Costa [14/17]
Elena vai além do olhar poético e exuberante sobre a dor. Ele é um pedido de atenção para o silêncio que encobre sentimentos e inibe o grito de socorro. + Cinema o Rama

.

.

79Doméstica, de Gabriel Mascaro [7/17]
É conseguindo entrar em um território tão fechado, com dois lados que partilham uma forte intimidade, mas que mantém uma série de diferenças, que o documentário de Mascaro encontra sua potência, escancarando tanto relações de poder quanto de afeto. + Lixeira Dourada

.

78Era uma Vez na Anatolia, de Nuri Bilge Ceylan [9/17]
Este filme insuportavelmente belo, angustiantemente filosófico e reflexivo torna-se uma espécie de ícone do culto artístico ao criador, representando seu exemplo mais didático, e também apontando para seu eventual limite. + Adoro Cinema

.

75Faroeste Caboclo, de René Sampaio [12/17]Mais do que tudo, é muito interessante o modo como o filme cria uma atmosfera típica de western, utilizando-se de várias imagens icônicas do gênero, e joga esses códigos na efervescência da Brasília dos anos 80. Um verdadeiro faroeste caboclo e urbano. + Artes & Subversão

.

74O que Traz Boas Novas, de Philippe Falardeau [8/17]
Philippe Falardeau, roteirista e diretor, busca manter o equilíbrio no ritmo, dando uma certa liberdade de interpretação ao espectador, que está envolvido pelos personagens da trama. + Cenas de Cinema

.

.

LANTERNINHA

30O Último Exorcismo – Parte II, de Ed Gass-Donnelly [6/17]
Com um elenco coadjuvante indigno de nota e efeitos especiais fajutos, O Último Exorcismo – Parte 2 funcionava melhor nas piadas recorrentes das redes sociais do que como filme de terror carrancudo. + Em Cartaz

.

Participaram desta edição: Alex Gonçalves (Cine Resenhas), Ana Kamila (Cinéfila Por Natureza), Elton Telles (Pós-Première), Erika Liporaci (Artes & Subversão), Francisco Carbone (Ghost World e Vertentes do Cinema), Gustavo H. Razera (Cine Cápsulas), Luis Galvão (Galvanismo), Marçal Garcia (Lixeira Dourada), Marcelo Ferreira (Visitante), Márcio Sallem (Em Cartaz), Mateus Denardin (All POP Stuff), Matheus Pannebecker (Cinema e Argumento), Maza Rigotti (Cinéfilos Famintos), Mila Ramos (Cenas de Cinema), Pedro Henrique (Tudo é Crítica), Pedro Tavares (Cinema o Rama) e Rafael Carvalho (Moviola Digital)

One Comment

  1. Um dos maiores arrependimentos do ano: Não ter visto “Elena” quando tive a oportunidade.

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: