Skip to content

Ponto Crítico – Jul/13

Ponto Crítico (Jul-13)

Saudações cinéfilas.

Fazia tempo que o Ponto Crítico não apresentava uma edição tão insípida. O motivo? Apenas um filme obteve uma média de respeito. Trata-se do espanhol “Branca de Neve”, título que liderou com folga esta edição que destaca os lançamentos de julho nos cinemas e em homevideo.

Inédito no cinema, “Bem-vindo aos 40” não fez tão feio em segundo lugar, mas comprova a fase um tanto desapontadora de Judd Apatow como diretor, que antes dirigiu os sucessos “O Virgem de 40 Anos” e “Ligeiramente Grávidos”. Respectivamente em terceiro e quarto lugar, “Wolverine: Imortal” e “A Bela que Dorme” praticamente empataram na média das avaliações mistas.

Na última posição da lista enxuta (foram poucos os filmes avaliados por mais de cinco blogueiros), surge “O Cavaleiro Solitário”, nova tentativa do trio Johnny Depp, Gore Verbinski e Jerry Bruckheimer em fazer um novo “Piratas do Caribe”. Comentamos antes da virada do ano sobre o fracasso em nossa retrospectiva – para lê-la, clique aqui.

.

TOP 5

.

78Branca de Neve, de Pablo Berger [11/17]
Entre as várias qualidades, o que inclui os caprichosos trabalhos de figurino e design de produção, destaca-se a intensidade das atuações e a habilidade do diretor em contornar a fábula para humanizar as relações entre os personagens. Em tempos de versões enlatadas com Julia Roberts e com a guria de Crepúsculo, a Branca de Neve espanhola não tem concorrência. + Pós-Première

.

67Bem-vindo aos 40, de Judd Apatow [7/17]
Utilizando temas atuais (a paranoia alimentar dos pais quanto aos filhos e o uso das redes sociais) para discutir assuntos atemporais (o receio em envelhecer e em não-realizar os sonhos traçados) com uma ótima trilha sonora incidental, Bem-vindo aos 40 pode não estar entre os melhores de Apatow, mas, repetindo o clichê, mesmo um Apatow menor é mais relevante e engraçado do que a grande parte das comédias lançadas por aí. + Em Cartaz

.

63Wolverine: Imortal, de James Mangold [13/17]
Ainda não foi dessa vez que a personagem mais icônica do universo narrativo dos “X-Men” conseguiu um filme à sua altura. Talvez, seja o caso de a Marvel Comics deixá-lo restrito a esta franquia, apesar do enorme carisma de Hugh Jackman à frente do personagem e, no caso particular de “Wolverine: Imortal”, dos bons nomes envolvidos na produção do filme, como o próprio diretor James Mangold e o roteirista Scott Frank. + Cinéfila por Natureza

.

63A Bela que Dorme, de Marco Bellocchio [10/17]
Aquele tom quase operístico, tempestuoso, como vemos em outros filmes do cineasta, por vezes é sentido aqui. Com tema tão polêmico, arroubos e atitudes irados dos personagens surgem na tela quando menos esperamos, fazendo de A Bela que Dorme um filme combativo, intenso, mas ainda assim cheio de ternura para com seus personagens. + Moviola Digital

.

60Hannah Arendt, de Margarethe von Trotta [6/17]
O filme de Margarethe von Trotta não se posiciona filosoficamente acima das obviedades do pensamento de Arendt, prefere o discurso contido e didático, adota a exposição midiática de uma forma brutal de pensar, do pensar, de como pensar longe da superficialidade. + Tudo é Crítica

.

LANTERNINHA

.

42O Cavaleiro Solitário, de Gore Verbinski [8/17]
Desde o princípio fica muito evidente a tentativa do diretor em recriar seu filme mais famoso, Piratas do Caribe. O problema é que muita coisa que funcionou em Piratas do Caribe ficou forçado e sem graça quando transposto para o velho oeste – talvez por já não ser novidade – e, assim, o filme fracassa como paródia e perde a oportunidade de ser um western autêntico. + Artes & Subversão

.

Participaram desta edição: Alex Gonçalves (Cine Resenhas), Ana Kamila (Cinéfila Por Natureza), Elton Telles (Pós-Première), Erika Liporaci (Artes & Subversão), Francisco Carbone (Ghost World e Vertentes do Cinema), Gustavo H. Razera (Cine Cápsulas), Hélio Flores (Cinefilia.com), Luis Galvão (Galvanismo), Marçal Viana (Lixeira Dourada), Marcelo Ferreira (Visitante), Márcio Sallem (Em Cartaz), Mateus Denardin (All POP Stuff), Maza Rigotti (Cinéfilos Famintos), Mila Ramos (Cenas de Cinema), Pedro Henrique (Tudo é Crítica), Pedro Tavares (Cinema o Rama), e Rafael Carvalho (Moviola Digital).

 

 

3 Comments

  1. Cinéfila por Natureza Cinéfila por Natureza

    Obrigada por destacar a minha crítica sobre “Wolverine: Imortal”. Porém, preciso, como sempre, urgentemente, melhorar a minha média de filmes vistos. Está uma vergonha!!

  2. […] engraçada. Após “Tabu” (Ponto Crítico de Junho) e “Branca de Neve” (Ponto Crítico de Julho), “Frances Ha” é o terceiro filme consecutivo em preto e branco que conquista o topo […]

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: