Skip to content

Eu e Você

Eu e Você | Io e te

Até o lançamento de “Os Sonhadores”, o cineasta italiano Bernardo Bertolucci manteve um ritmo de trabalho admirável. Moderadamente prestigiados no ano em que foram lançados, seus últimos trabalhos, quase todos predominados pela língua inglesa, hoje são apreciadas com maior fervor quando revisitados, a exemplo de “Beleza Roubada” e “Assédio”. Portanto, o que justifica o hiato de dez anos entre “Os Sonhadores” e “Eu e Você”?

Um pouco depois de “Os Sonhadores”, Bertolucci realizou uma cirurgia na coluna que trouxe resultados catastróficos. Antes uma presença cheia de vitalidade em festivais de cinema, hoje o cineasta está preso em uma cadeira de rodas. Felizmente, a fatalidade não diminuiu seu bom-humor (foi flagrado em novembro visitando sua estrela na Calçada da Fama após cinco anos de sua inauguração). Por outro lado, não há como não traçar ligações entre as emoções tumultuadas que possivelmente o acompanharam nesses últimos anos e “Eu e Você”, seu novo longa-metragem.

Após ser adiado inúmeras vezes no Brasil, a adaptação do romance homônimo de Niccolò Ammaniti (o mesmo de “Eu Não Tenho Medo”) chega no circuito alternativo de modo discreto. A história contada em “Eu e Você” é de Lorenzo (Jacopo Olmo Antinori), um adolescente introvertido que não tem um relacionamento muito amável com a mãe (Sonia Bergamasco). Seja por razões ligadas ao divórcio dos seus pais ou de inadequação na escola, Lorenzo decide se refugiar no porão do edifício em que vive sem contar a ninguém. Como confirmou sua presença em uma excursão para uma estação de esqui, Lorenzo não deverá enfrentar nenhum problema além das ligações telefônicas de sua mãe.

A tranquilidade em se isolar de tudo e de todos enquanto ouve suas bandas favoritas no último volume e consome algumas besteiras é abalada quando sua irmã Olivia (a bela estreante Tea Falco) invade o porão em busca de uma caixa com alguns pertences. Há uma tensão entre ambos, pois Olivia há muito não vê Lorenzo. Viciada em drogas, Olivia saiu de casa após atingir a maioridade e sobrevive entre vender suas fotografias e flertar com homens ricos.

Durante os dias de isolação dos protagonistas de “Eu e Você”, Bertolucci dá pinceladas sobre o estado da juventude atual, mas seu verdadeiro interesse está em discutir o processo de recolhimento para finalmente se libertar de tormentos internos. É um relato que não resiste perfeitamente por ter sido lidada em tantas ocasiões da cinematografia mundial. De qualquer modo, Bertolucci garante alguma autenticidade no modo como registra o reencontro entre Lorenzo e Olivia, dando-os a possibilidade de imaginar o quanto aquele refúgio os transformaram.

Io e te, 2012 | Dirigido por Bernardo Bertolucci | Roteiro de Bernardo Bertolucci, Francesca Marciano, Niccolò Ammaniti e Umberto Contarello, baseado no romance homônimo de Niccolò Ammaniti | Elenco: Jacopo Olmo Antinori, Tea Falco, Sonia Bergamasco, Veronica Lazar, Tommaso Ragno e Pippo Delbono | Distribuição: California Filmes

2 Comments

  1. O Bernardo Bertolucci me parece ter sido um diretor que perdeu muito da relevância que ele tinha. Mal ouvi falar sobre esse “Eu e Você”. De toda forma, fiquei curiosa após ler sua resenha sobre o filme.

    • Kamila, relevância ele nunca vai perder. E o filme passou despercebido porque foi adiado ao longo de todo o ano passado, o que é uma pena, pois se trata do primeiro filme em muito tempo de um dos cineastas italianos mais notáveis ainda em atividade.

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: