Skip to content

Vovô sem Vergonha

Vovô sem Vergonha | Jackass Presents: Bad Grandpa

Convenhamos: não são todos que estão dispostos a encarar um filme com o selo “Jackass Presents”. Para quem espiou acidentalmente alguma esquete descerebrada dessa trupe de comediantes que se sujeitam aos desafios mais absurdos para extrair risadas sabe que é preciso ter estômago forte. Para quem nunca viu a MTV norte-americana ou alugou os filmes distribuídos pela Paramount, “Jackass” acompanhava um grupo de amigos liderado por Johnny Knoxville se expondo a riscos como ser lançado dentro de banheiro público, raspar papel sulfite entre os dedos ou desafiar animais selvagens.

Em “Vovô sem Vergonha”, há alguns estranhamentos. O único representante do “Jackass” no filme de Jeff Tremaine é o próprio Johnny Knoxville e ele está irreconhecível sob uma maquiagem de envelhecimento (o trabalho de Steve Prouty foi a maior surpresa na lista de indicados ao Oscar 2014). Como parceiro, temos o adorável e travesso Jackson Nicoll, que tem apenas dez anos de idade. Logo chega-se à conclusão: “Vovô sem Vergonha” é uma mistura de ficção com flagras reais.

O filme começa com Irving Zisman (Knoxville) recebendo com a maior felicidade do mundo a notícia da morte de sua esposa Ellie (Catherine Keener, acreditem se quiser!). No velório, Irving é surpreendido com o aparecimento de sua filha Kimmie (Georgina Cates), que dentro de alguns dias deverá encarar a prisão e que deixa com ele seu filho Billy (Nicoll). Irving quer aproveitar a viuvez para viver a vida plenamente, o que significa torrar a sua aposentadoria com bebidas e prostitutas. Planos em que Billy não pode ser encaixado, o que faz com que Irving procure o seu genro Chuck (Greg Harris) para cuidar do menino.

Ao adotar as características de um road movie (Irving deverá se deslocar até Raleigh, na Carolina do Norte, para encontrar Chuck), “Vovô sem Vergonha” usa as paradas durante a viagem para coletar com câmeras escondidas as reações de anônimos ao se depararem com acidentes previamente simulados pela equipe. Entre as mais absurdas e impagáveis, há uma sessão de flatulências em um restaurante com um resultado catastrófico e a participação de Billy em um show de calouros estilo “Pequena Miss Sunshine” em que ele se apresenta como Lindsey Dill.

O mais engraçado em “Vovô sem Vergonha” é que há algo de muito terno em meio a tudo isso. Após tantas piadas não aconselháveis para menores de idade, há uma cumplicidade muito verdadeira entre Irving e Billy ao ponto deles perceberem que não querem se afastar um do outro. A mistura bizarra funciona que é uma maravilha e os créditos certamente devem ser conferidos a Spike Jonze, que, pasmem!, como produtor e roteirista de “Vovô sem Vergonha” faz mais serviço do que no superestimado “Ela”. Deixe os preconceitos de lado e vá ver “Vovô sem Vergonha” com o coração aberto.

Jackass Presents: Bad Grandpa, 2013 | Dirigido por Jeff Tremaine | Roteiro de Jeff Tremaine, Johnny Knoxville e Spike Jonze | Elenco: Johnny Knoxville, Jackson Nicoll, Greg Harris, Georgina Cates, Kamber Hejlik, Jill Kill, Grasie Mercedes Jack Polick e Catherine Keener | Distribuidora: Paramount

5 Comments

    • Dispensa por completo, mas verá o “Ela” que é assinado pelo mesmo Spike Jonze. HAHAHA

  1. Knoxville dialogando novamente com o cinema de John Waters, pela coragem na crítica e na ousadia. Talvez tenha se perdido em emular Jackass algumas vezes, mas ainda sim é um filme divertidíssimo e pertinente. Pena de quem o “dispensa”.

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: