Skip to content

Resenha Crítica | Muitos Homens num Só (2013)

Muitos Homens num Só

Muitos Homens num Só, de Mini Kerti

.:: 38ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo ::.

O escritor João do Rio fez sucesso ao escrever uma série de histórias para o periódico Gazeta de Notícias protagonizadas por Dr. Antonio, notório ladrão de hotéis. O personagem, que não dispensa o charme para ludibriar as vítimas quando é pego em ação, é inspirado em uma figura real, Arthur Antunes Maciel, gaúcho de família rica que viveu entre a criminalidade e o cárcere.

Com uma carreira voltada à publicidade e ao universo dos videoclipes, Mini Kerti faz a sua estreia como diretora de longa-metragem de ficção em “Muitos Homens num Só”, com um roteiro assinado pela dupla Leandro Assis e Nina Crintz que trata de romantizar a trajetória do Dr. Antonio, interpretado por Vladimir Brichta. Habilidoso em não deixar vestígios por onde passa, Dr. Antonio se transforma em uma lenda para investigadores e jornalistas.

Dr. Antonio começa a vacilar ao se envolver com Eva (Alice Braga), uma mulher que abdicou de suas habilidades como desenhista para incorporar o papel de esposa padrão de Jorge (Pedro Brício), um homem bem-sucedido com quem vai ao Rio de Janeiro para aproveitar as férias. Evidenciando uma estranha sintonia no instante em que se conhecem, Dr. Antonio e Eva se apaixonam enquanto Félix Pacheco (Caio Blat) cria métodos científicos para capturá-lo atuando como o diretor do Gabinete de Identificação.

Após laurear o fraco “Vendo ou Alugo” em quase todas as categorias no ano passado, o Cine PE voltou neste ano a distribuir em massa o troféus Calunga para um único filme, justamente “Muitos Homens Num Só”. Alguns muitos justos, pois a produção é de um preciosismo técnico pouco repetido em outras produções nacionais de época, especialmente no que se refere a direção de arte de Kiti Duarte e a edição de som de Sérgio Mekler.

O problema, e ele é grave, está na decisão do modo como a história de um personagem tão pitoresco é contada. Ainda que Vladimir Brichta seja um ator ideal para viver Dr. Antonio e exista muita curiosidade na apuração de digitais realizadas pelo personagem de Caio Blat em uma época em que o método inovador não era encarado com muita seriedade, “Muitos Homens num Só” reduz todo o seu potencial ao privilegiar uma história romântica. Pouco se vê as artimanhas do Dr. Antonio e suas diversas identidades e o desenlace de tudo é muito previsível. Ao julgar pelo resultado, o amor não destrói apenas o protagonista, como também a promessa de um grande filme.

2 Comments

  1. Adorei o texto, Alex! Gosto muito dos dois atores que protagonizam esse filme e, se tiver a oportunidade, com certeza, assistirei, apesar das suas ressalvas em relação à obra.

    • Kamila, é difícil dizer se a galera vai abraçar este filme. No Cine PE, parece que todos ficaram muito entusiasmados. Já na Mostra, muitos o apontaram como um dos piores filmes da seleção.

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: