Skip to content

Viver é Fácil com Os Olhos Fechados (2013)

Viver é Fácil com Os Olhos Fechados | Vivir es fácil con los ojos cerrados

Vivir es fácil con los ojos cerrados, de David Trueba

.:: 38ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo ::.

Volta e meia nos deparamos com filmes que tratam sobre a busca de uma pessoa comum pelo seu ídolo. Como o esperado, esse objetivo permite que a narrativa assuma as estruturas de um road movie e logo a relação com estranhos rende contornos de um drama reflexivo. “Viver é Fácil com Os Olhos Fechados” não faz nenhum esforço para fugir dessa estrutura, mas parece que a Espanha ainda não tinha se deparado com algo parecido. É o que diz o Goya Awards, que deu ao filme seis troféus, inclusive na categoria de Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Roteiro Original. É também o título escolhido pelo país para tentar uma vaga na categoria de Melhor Filme Estrangeiro no próximo Oscar.

Irmão mais novo de Fernando Trueba (“Sedução”, “A Dançarina e o Ladrão”), David Trueba encontrou como atrativo para se articular dentro de um modelo manjado a história verídica de um professor espanhol de Língua Inglesa chamado Antonio, que tem o desejo de se encontrar com John Lennon, seu maior ídolo. Além da oportunidade de conhecer pessoalmente o Beatle, que está província na Almería para a gravação de “Como Eu Ganhei a Guerra”, o professor interpretado por Javier Cámara tem a missão nobre de solicitar ao artista que as letras de suas canções sejam inclusas em seus próximos álbuns para servir de material de auxilio para as suas aulas, sempre embaladas com os maiores sucessos do quarteto de Liverpool.

Ao se apresentar como um sujeito com um coração maior que o seu próprio peito, Antonio encontra no caminho Belén (Natalia de Molina), uma jovem de 21 anos grávida, e Juanjo (Francesc Colome), garoto de 16 anos que abandona o seu lar após uma discussão matinal com o seu pai devido a um corte de cabelo que não quer fazer. Não há choques entre esse trio e David Trueba quase passa batido pelas discussões que o período retratado incitam (a Espanha de 1966 era alvo da Ditadura). De valor, resta Javier Cámara, veterano sempre lembrado por suas parcerias com Pedro Almodóvar e dono de uma ternura implacável para viver homens modestos e retraídos como Antonio.

Be First to Comment

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: