Skip to content

Resenha Crítica | Apesar da Noite (2015)

Malgré la nuit, de Philippe Grandrieux

.:: INDIE 2016 Festival Cinema ::.

A obra do cineasta Philippe Grandrieux está alocada em um espaço bem incômodo da cinematografia francesa. Bem antes de estrear da direção de um longa de ficção em 1998 com “Sombre”, Grandrieux já havia se submetido a experimentos visuais que o alçaram a alcunha de artista alternativo e transgressor. Como se espera, “Apesar da Noite” vem a corresponder essa expectativa, para o bem ou para o mal.

A princípio, pode-se dizer que há um quadrado amoroso em formação na narrativa de “Apesar da Noite”. Quatro jovens demonstram uma ligação muito íntima. Lenz (Kristian Marr) é o pivô das relações, retornando a Paris após uma longa estada na Inglaterra com a justificativa de reencontrar um amor desfeito, Madeleine, que teria desaparecido sem deixar vestígios. O primeiro a rever é o seu grande amigo Louis (Paul Hamy), que parece ter um relacionamento aberto com Lena (Roxane Mesquida). Paralelamente, conhece e se apaixona por Hélène (Ariane Labed), uma enfermeira de passado nebuloso.

Sem abandonar o elo amoroso que ata os personagens, “Apesar da Noite” inicia uma investigação bem sombria sobre cada um deles, culminando na aproximação perigosa com o universo da produção pornográfica hardcore, com a chantagem e o horror pontuando os passos de Lenz. Um território perfeito para Grandrieux exercer o seu fascínio por imagens fortes, mas sem ressonância.

Com duas horas e meia de duração, Grandrieux a princípio manipula os seus personagens com uma série de enigmas, desde a exibição de uma gravação com os requintes de crueldade dos snuff movies trazendo uma vítima com o rosto ocultado por uma máscara sadomasoquista até a coincidência de Lena e Hélène terem nomes sonoramente tão similares com o de Madeleine. Tudo para culminar na previsível explosão de corpos nus e violência gráfica que não legitimam os personagens e que os carregam a um ato final que nos angustia por trazer desdobramentos que parecem jamais nos levar a uma conclusão.

Be First to Comment

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: