Skip to content

10 Dicas de Filmes Para Ver na 40ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

Em meio a 322 que integram a programação da 40ª Mostra Internacional de Cinema, é complicado fazer uma seleção de duas semanas, período insuficiente para qualquer cinéfilo maratonista ver ao menos 1/3 desses títulos. Há também casos em que a falta de tempo livre impossibilita de pesquisar sobre cada produção antes de fechar uma lista de prioridades.

Independente de qual é a sua condição, destacamos a seguir dez filmes considerados imperdíveis e que merecem um espaço em sua agenda, cada uma carregando a particularidade do cinema de seu país de origem. Além de figurinhas fáceis em listas como essa, há também opções que podem passar batidas por olhos menos atentos que merecem uma chance de serem descobertas.

.

Beduino | dir. Júlio Bressane | Site da Mostra | IMDb

Um casal bastante curioso —dramaturgos de sua própria existência na qual a arte surge acompanhada de uma singular pretensão metafísica— procura pela coisa mais difícil, por meio de repetidas e variadas representações, em um cenário de luz onde se misturam esperança e desespero.

Por que assistir?: Júlio Bressane é praticamente um patrimônio da Mostra, contando sempre com a exibição de seus novos filmes no evento. Verdade que o diretor não é uma unanimidade, mas até aqueles que encaram a sua obra com reservas se encantaram com “Beduino”, já exibido em Locarno e Brasília. Sem dizer que Bressane e Alessandra Negrini, que trabalham juntos em “Cleópatra” e “A Erva do Rato”, foram feitos um para o outro.

.

Corações CicatrizadosInimi cicatrizate | dir. Radu Jude | Site da Mostra | IMDb | Trailer

Romênia, 1937. Emanuel, um jovem de 20 anos, passa seus dias em uma clínica na costa do mar Negro, sofrendo de uma tuberculose óssea. Apaixonado por outra paciente, ele narra sua tentativa e a de seus companheiros em aproveitar ao máximo a vida enquanto seus corpos definham lentamente, ao passo que suas mentes se recusam a desistir. Inspirado no romance autobiográfico Corações Cicatrizados, do autor romeno Max Blecher.

Por que assistir?: o romeno Radu Jude é o mesmo de “Aferim!”, que na edição passada da Mostra provocou uma forte impressão no público e crítica. Tendo em mãos o romance de seu conterrâneo Max Blecher, Jude promete um filme ainda mais ambicioso, tendo saído do Festival de Locarno com o prêmio do júri.

.

Elle | dir. Paul Verhoeven | Site da Mostra | IMDb | Trailer

Michèle parece ser indestrutível. Chefe de uma importante empresa de jogos de videogame, ela tem a mesma atitude implacável nos relacionamentos amorosos e no trabalho. Depois de ser atacada em sua casa por um assaltante, Michèle tem a vida completamente mudada. Quando ela passa a seguir os rastros desse homem, ambos são arrastados para um jogo que pode, a qualquer momento, sair do controle.

Por que assistir?: um dos concorrentes à Palma de Ouro deste ano, “Elle” saiu de mãos vazias do Festival de Cannes, mas desde sua première as polêmicas sobre a sua premissa envolvendo um estupro têm repercutido. É um retorno do grande Paul Verhoeven às tramas de teor sexual que o notabilizaram. Já escrevemos as nossas impressões sobre o filme aqui.

.

Fukushima, Mon Amour | Grüße aus Fukushima | dir. Doris Dörrie | Site da Mostra | IMDb | Trailer

Marie é uma jovem alemã em Fukushima tentando mudar de vida. Ela passa a trabalhar para a organização Clowns4Help, com a qual espera levar alguma alegria para os sobreviventes do desastre nuclear de 2011. Marie logo percebe, no entanto, que não tem muito talento em fazer a tragédia ser menos penosa. Ao invés de ir embora, ela decide ficar com Satomi, última gueixa de Fukushima, que decidiu por conta própria voltar para sua antiga casa em uma área radioativa isolada. Duas mulheres muito diferentes entre si, presas ao passado e que precisam se libertar da culpa e do peso da memória.

Por que assistir?: exibido na 35ª Mostra, “Hanami – Cerejeiras em Flor”, que incluímos em nossa lista #52FilmsByWomen, é um filme que continua muito vivo em nossa memória por seu alto grau de sensibilidade. Fotografado em preto e branco, “Fukushima, Mon Amour” parece repetir a dose em uma premissa que se movimenta a partir de duas mulheres de culturas e tempos distintos.

.

Glory | Slava | dir. Kristina Grozeva e Petar Valchanov | Site da Mostra | IMDb | Trailer

Tsanko Petrov, um trabalhador ferroviário, encontra uma enorme quantia de dinheiro nos trilhos do trem. Ele entrega todo o montante para a polícia, que o recompensa com um novo relógio de pulso, que logo para de funcionar. Enquanto isso, Julia Staikova, chefe do departamento de relações públicas do Ministério dos Transportes, perde o antigo relógio de Petrov. Ele começa então uma luta desesperada para obter seu velho relógio de volta, assim como sua dignidade.

Por que assistir?: a dupla Kristina Grozeva e Petar Valchanov é a mesma de “A Lição“, drama que posicionamos em terceiro lugar em nosso top 10 de melhores filmes do ano passado. Novamente com a extraordinária Margita Gosheva em um papel central, os realizadores prometem construir um novo panorama angustiante sobre a influência que o dinheiro exerce em um cenário em crise.

O Apartamento | Forushande | dir. Asghar Farhadi | Site da Mostra | IMDb | Trailer

Obrigados a sair do apartamento onde vivem por causa de obras no prédio vizinho, Emad e Rana se mudam para um novo flat no centro de Teerã. Um incidente ligado ao antigo morador vai mudar drasticamente a vida do jovem casal.

Por que assistir?: o iraniano Asghar Farhadi vem se superando a cada novo filme. No Festival de Cannes, “O Apartamento” saiu vitorioso em nada menos que duas categorias: Melhor Roteiro e Melhor Ator para Shahab Hosseini. Há também uma promessa de um novo retrato sobre relacionamentos a partir de uma cultura restritiva que ressoa diante de todas as demais.

.

O Ídolo | Ya tayr el tayer | dir. Hany Abu-Assad | Site da Mostra | IMDb | Trailer

Mohammed Assaf, um cantor de casamentos que vive em Gaza, tem um objetivo quase impossível: competir no programa Arab Idol.

Por que assistir?: o cineasta israelense Hany Abu-Assad já conseguiu chegar ao Oscar com dois de seus filmes: “Paradise Now” e “Omar”. Ao analisar o impacto dos fenômenos tipicamente americanos, parece se aquecer inclusive para a sua futura empreitada nos Estados Unidos com “The Mountain Between Us”, protagonizado por Kate Winslet e Idris Elba.

.

O Segredo da Câmara Escura | Le secret de la chambre noire | dir. Kiyoshi Kurosawa | Site da Mostra | IMDb | Trailer

Stéphane, um ex-fotógrafo de moda, trabalha obsessivamente com daguerreótipos, antiga técnica de fotografia do século 19, que à época se dizia tornar eterna a alma das pessoas cuja imagem capturava. Jean, um jovem em busca de inspiração em sua vida, torna-se assistente do fotógrafo. Quando ele se apaixona por Marie, filha única e modelo de Stéphane, a diferença entre imagem e realidade se torna muito mais difícil de decifrar.

Por que assistir?: um dos realizadores mais ativos do cinema mundial, Kiyoshi Kurosawa excursiona pelo cinema francês mantendo a promessa de criar uma obra de forte impacto, trazendo para o elenco grandes nomes como os de Tahar Rahim, Olivier Gourmet e Mathieu Amalric.

.

O Sonho de Greta | Girl Asleep | dir. Rosemary Myers | Site da Mostra | IMDb | Trailer

O mundo está se fechando em torno de Greta Driscoll. Às vésperas de fazer 15 anos, ela não consegue lidar com a ideia de abandonar sua infância, onde encontra todas as coisas que lhe dão conforto neste novo e incompreensível mundo.

Por que assistir?: é sempre bom abrir um espaço na programação para encaixar uma opção mais descompromissada, que alivia os nervos após uma maratona de dramas geralmente pesados. Muito além de um mero escapismo, essa fantasia australiana é daquelas que parecem despertar a nossa nostalgia com graça e ternura.

.

The Handmaiden | Ah-ga-ssi | dir. Park Chan-wook | Site da Mostra | IMDb | Trailer

Em 1930, durante a ocupação japonesa na Coreia do Sul, a jovem Sooke é contratada para ser criada de Hideko, uma herdeira que leva uma vida reclusa junto de Kouzuki, seu tio dominador, em uma grande propriedade rural. No entanto, a empregada tem um segredo. Ela é uma ladra recrutada por um vigarista para seduzir a patroa, roubar sua fortuna e trancá-la em um hospício. Tudo parece correr conforme o previsto até que Hideko e Sooke descobrem um sentimento inesperado.

Por que assistir?: indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes, “The Handmaiden”, que já tem distribuição garantida pela Mares Filmes, é daquele tipo de produção que quanto menos se sabe, melhor. Fácil um dos melhores (o melhor?) filmes do núcleo Perspectiva Internacional. Nossa opinião pode ser lida aqui.

2 Comments

  1. pedrotavarescinemaorama pedrotavarescinemaorama

    Bela lista, meu caro.

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: