Melhores de 2016: Fotografia

.

Exibidos em competição no Festival de Cannes em 1998, “Festa de Família” e “Os Idiotas” surgiram não somente como uma proposta de vanguarda com o Dogma 95, mas também como um marco que revolucionaria o cinema: a transição do analógico para o digital. Hoje, viabilizar uma produção em película tem se tornado uma realidade cada vez mais distante e as próprias salas de cinema já se modernizaram com as exibições digitais.

Pode-se dizer que “Tangerine” marca um novo passo adiante: até onde se tem registro, é o primeiro longa-metragem totalmente captado em iPhone. Há quem possa estranhar a princípio o movimento constante das imagens captadas com extrema liberdade por Radium Cheung e Sean Baker, mais logo as cores vivas do submundo de Los Angeles passam a se comunicar totalmente com a jornada de 24 horas enfrentada pelas amigas Sin-Dee (Kitana Kiki Rodriguez) e Alexandra (Mya Taylor). Muito mais do que uma comédia com tons dramáticos que presta um serviço imenso em tempos em que a diversidade é a palavra de ordem, “Tangerine” é também uma prova de que a linguagem cinematográfica nunca se esgotará em possibilidades.

.

OUTROS DESTAQUES:
A BruxaCarol • Ninguém Deseja a Noite • O Regresso

.

Em 2015: Sicario: Terra de Ninguém
Em 2014: 
O Grande Hotel Budapeste
Em 2013:
Branca de Neve
Em 2012:
Precisamos Falar Sobre o Kevin
Em 2011: Melancolia
Em 2010:
Direito de Amar
Em 2009: Anticristo
Em 2008: Sem Medo de Morrer
Em 2007: Babel

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

Be the first to comment

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: