Resenha Crítica | Corra! (2017)

Get Out, de Jordan Peele

No primeiro trimestre deste ano, três filmes com forte representatividade negra brilharam na temporada de premiações: “Moonlight: Sob a Luz do Luar“, “Estrelas Além do Tempo” e “Um Limite Entre Nós“. No entanto, aquele que teve uma resposta imediata do público por tratar a vida e o tratamento dispensado aos negros teve origens e pretensões bem mais modestas: o terror “Corra!”.

Jordan Peele estreia na direção um resultado acima da média por não enganar as suas origens como um ator de comédias. Produção da Blumhouse, especialista na viabilização de filmes baratos de terror que costumam mandar bem comercialmente, “Corra!” é sim um exemplar legítimo do gênero, mas a sensação que se mantém é a de que o senso de humor que realmente eleva as suas virtudes.

Tensão racial é um excelente tema para refletir o horror dos nossos tempos. Ainda assim, é no tom quase satírico que Peele alfineta com mais intensidade uma sociedade ainda movida por retrocessos. A análise na íntegra está disponível no canal do Cine Resenhas no YouTube.

 

Data:
Filme:
Corra!
Avaliação:
31star1star1stargraygray
Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

2 Comentários em Resenha Crítica | Corra! (2017)

  1. Não assisti ainda a “Corra!”, mas é inegável que se trata de um filme que tem obtido uma excelente repercussão! Parece uma obra interessante.

  2. Oi, Alex! Legal você ter um canal no Youtube agora, vou segui-lo por lá!
    “Corra” foi um dos filmes pelos quais mais nutri expectativas este ano, e isso realmente influenciou na sessão. Li coisas como “o melhor filme de terror da década”, “um dos melhores filmes do ano até agora”… e por aí vai. História interessante, mas um tanto previsível e com soluções apressadas. Há outra coisa que me desagradou: o motivo que leva o grupo a agir como age, no meu ponto de vista, foi mal explicado.
    Como você bem cita em seu vídeo, o elemento cômico é muito presente, e se for aceito, funciona melhor. Queria um filme de terror de verdade, e não vi isso.
    Um abraço!

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: