Resenha Crítica | Vida (2017)

Life, de Daniel Espinosa

Sempre foi uma ambição dos agentes da Ciência a descoberta de uma vida existente fora da Terra. O seu sucesso, que ainda não aconteceu, certamente abalaria todas as crenças sobre o ser humano e as suas origens, a possibilidade de permanência em um novo planeta, entre demais quebra de paradigmas. No entanto, como a ficção científica previne, é melhor não antecipar processos sem antes conhecer as intenções de um novo ser vivo.

Tudo são flores nos primeiros instantes de “Vida”, nos quais uma tripulação com seis astronautas, cada um representando um país, regressa com a primeira amostra já obtida em Marte de um organismo unicelular. Todos já estabelecem contato como heróis e um grupo escolar de crianças até batizou a criatura de Calvin. Mas eis que o cientista Hugh Derry (Ariyon Bakare) acaba sendo o primeiro a sofrer um ataque do “alienígena” hostil, que de uma microscópica raiz transparente vai ganhando formas paulatinamente avantajadas.

Cineasta sueco dado como um nome a se observar a partir do sucesso comercial do fraco “Protegendo o Inimigo”, Daniel Espinosa rende muito mais partindo de um projeto com aura de filme B como “Vida”. Portanto, o que começa com uma emulação barata da pirotecnia de “Gravidade” ganha desdobramentos muito mais nobres ao propor uma experiência de claustrofobia e perseguição à lá “Alien: O Oitavo Passageiro”.

O resultado é o aumento progressivo de uma tensão conduzida com pulso firme por Espinosa, trazendo para a sua encenação um elenco adequado cuja ponta frágil vem a ser somente Rebecca Ferguson, ainda sem a desenvoltura para assumir o protagonismo de um filme. Se não bastasse esses atrativos, há em “Vida” uma conclusão assustadora, dessas de se parabenizar os envolvidos pela coragem em assumir algo tão arriscado e, ao mesmo tempo, condizente com o perigo que conceberam. De lavar a alma depois do aborrecimento embaraçoso provocado por “Alien: Covenant”.

Data:
Filme:
Vida
Avaliação:
4
Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

Be the first to comment

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: