Festival Varilux de Cinema Francês 2017 | 7 a 21 de Junho

O circuito comercial brasileiro, bem como o de vários outros países, é tão receptivo com a produção americana que as cinematografias das demais nacionalidades são restritas ao nicho alternativo, como se suas narrativas, mesmo com o recurso da dublagem em português, não correspondessem ao que procura o grande público. Esse paradigma parece aos poucos remodelado com algumas iniciativas que buscam tornar mais estreitos os laços do espectador com esses diálogos mais particulares.

Uma das razões do cinema francês crescer em popularidade no Brasil pode ser justificada com a existência do Festival Varilux de Cinema Francês, que desde 2010 oferta um recorte do melhor daquele país a partir de uma programação especial. Na edição deste ano, 19 produções vão circular em 55 estados brasileiros. Há também eventos paralelos, como a inédita e gratuita Mostra Realidade Virtual, na qual oito curtas propõem uma experiência de imersão diferente da qual estamos habituados.

Em coletiva para a imprensa realizada na última quarta-feira, 7/6, em uma unidade da Aliança Francesa de São Paulo, artistas e realizadores formaram uma delegação artística para promoverem os seus trabalhos. Principal atração, o casal Dominique Abel e Fiona Gordon está à frente de “Perdidos em Paris”. O trio formado pelos atores Ramzy Bédia e Maria Dupláa e o diretor Olivier Peyon são os nomes principais de “O Filho Uruguaio”. Da comédia “Tal Mãe, Tal Filha”, vieram a diretora Noémie Saglio e a atriz Camille Cottin. Do drama “Tour de France”, estava presente o protagonista Sadek, mais conhecido pelo seu trabalho como rapper. Por fim, Damien Bonnard se mostrou tão introspectivo quanto o seu protagonista de “Na Vertical” e Michel Reilhac, responsável pela Mostra Realidade Virtual, acompanhava o time.

Presente no evento, o Cine Resenhas direcionou uma questão aos presentes sobre uma pauta ainda quente na imprensa de entretenimento: a discussão que dominou as coletivas do Festival de Cannes sobre a presença da Netflix na seleção competitiva. O tema, que foi discorrido nesta postagem, rendeu um bom espaço para reflexões.

Ao menos entre aqueles que puderam se manifestar (o tempo não permitiu que todos respondessem), foi uma unanimidade a defesa da plataforma. Noémie Saglio foi a primeira a expor suas impressões, enfatizando a importância de “apresentar os filmes ao máximo de pessoas possíveis” e contestando a “celebração particular de produções tão importantes para a juventude francesa, como ‘Divinas’ e ‘A Volta’”. Ainda mais incisivo foi Sadek, que associou tudo como um “falso debate” e que a ação de restringir um filme somente à exibição nos cinemas seria “uma motivação para os diretores esconderem as suas mediocridades”.

Já Michel Reilhac associou o fenômeno como algo natural em nossa modernidade, afirmando que “essa transição permite uma continuidade ao cinema, que não deve ser mais pensado como exclusão”. Relembrou que os downloads, os equipamentos eletrônicos e a demanda de serviços streaming não intimidaram a busca, por exemplo, dos livros físicos ou mesmo a volta dos vinis, “um prazer vintage”.

O Festival Varilux de Cinema Francês 2017 já está acontecendo. Para obter mais informações, acompanhe o site oficial.

.

.:: SERVIÇO ::.

FESTIVAL VARILUX DE CINEMA FRANCÊS 2017

De 7 a 21 de junho em mais de 55 cidades brasileiras:

Aracaju(SE), Barretos(SP), Barueri(SP), Belém ( PA), Belo Horizonte (MG),Blumenau (SC), Buzios (RJ), Brasilia (DF), Campinas (SP), Campo Grande (MS), Caxias do Sul (RS),Caxambu(MG), Cotia (SP), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE),Foz do Iguaçu (PR), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Juiz de Fora (MG), Jundiaí (SP), Londrina (PR), Macaé (RJ), Maceió (AL), Manaus (AM), Maringá (PR), Mossoró (RN), Natal (RN), Niterói (RJ), Nova Friburgo (RJ), Pelotas (RS), Petrópolis (RJ), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Rio Verde (GO),Salvador (BA), Santa Maria (RS), Santos (SP), São Carlos (SP),São José do Rio Preto (SP), São Luiz (MA), São Paulo (SP), Theresina (PI), Vitória (ES), Volta Redonda (RJ).
Os preços de ingressos são os mesmos praticados pelos cinemas
Mais informações em: www.variluxcinefrances.com
Facebook: Festival Varilux de Cinema Francês (/variluxcinefrancês)
Instagram: @variluxcinefrances
Youtube: Festival Varilux de Cinema Francês.

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

Be the first to comment

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: