Melhores de 2016: Ator

.

A chegada aos 80 anos de Christopher Plummer fez o Oscar observar mais atentamente a carreira desse incansável canadense, até hoje mantendo um ritmo frenético de trabalho. Em 2010, foi finalista ao prêmio de Melhor Ator Coadjuvante por “A Última Estação”. Dois anos depois, disputou novamente a categoria por “Toda Forma de Amor“, desta vez levando a estatueta. Se o mundo do cinema fosse justo, teria disputado a última edição da premiação, agora como protagonista de “Memórias Secretas”, dirigido pelo também canadense Atom Egoyan, com quem Plummer já havia trabalhado anteriormente em “Ararat”.

Na pele de Zev Guttman, um sobrevivente do Holocausto recém-viúvo e em estado avançado de demência, Plummer está em uma posição em que sua vitalidade precisa ser negligenciada para incorporar um idoso totalmente vulnerável em sua missão de acertar as contas com o passado. Trata-se de um protagonista cujos passos lentos acompanhamos em estado aflitivo e que o ator tem a oportunidade rara em sua carreira de desenvolver plenamente por estar a cada segundo no centro das atenções.

.

OUTROS DESTAQUES:
Alfredo Castro (De Longe Te Observo) • Colin Farrell (O Lagosta) • Eddie Redmayne (A Garota Dinamarquesa) • Jacob Tremblay (O Quarto de Jack)

.

Em 2015: Brendan Gleeson, por Calvário
Em 2014: 
Eddie Marsan, por Uma Vida Comum
Em 2013: 
John Hawkes, por As Sessões
Em 2012:
Jean Dujardin, por O Artista
Em 2011:
Mikael Persbrandt, por Em Um Mundo Melhor
Em 2010:
Nicolas Cage, por Vício Frenético
Em 2009:
Richard Jenkins, por O Visitante
Em 2008: 
Philip Seymour Hoffman, por Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto
Em 2007: 
Toby Jones, por Confidencial

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

Be the first to comment

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: