Resenha Crítica | mãe! (2017)

mother!, de Darren Aronofsky

Não se pode dar muita credibilidade aos casos de vaias no Festival de Veneza, com parte de seu corpo de imprensa local sempre entusiasmado em desdenhar dos filmes em seleção. No entanto, é possível compreender perfeitamente quem urrou contra “mãe!”, bem como aqueles que foram mais cordiais ao aplaudi-lo.

“mãe!” é a obra mais divisiva da carreira de Darren Aronofsky e surpreende que um grande estúdio tenha bancado um projeto underground em proposta. A mim, não me agradou bem um pouco. Isso até surgir um ponto de virada a partir de sua metade final que definitivamente ressignifica muitas coisas. Bem como em “Fonte da Vida” e “Noé“, Aronofsky versa sobre conceitos bíblicos e os subverte para algo contestador. Comento um pouco mais sobre isso no vídeo a seguir, com o alerta de spoiler marcado para você que prefere embarcar na experiência totalmente no escuro.

.

Comente