Resenha Crítica | Velozes e Furiosos 4 (2009)

Velozes e Furiosos 4
O estrondoso sucesso de “Velozes e Furiosos”, lançada em 2001 sob o custo de trinta e oito milhões de dólares – lucrou nas bilheterias mundiais cinco vezes mais o valor de seu investimento -, dava a impressão de que faria o quarteto central seria alçado diretamente ao estrelato. Mas Vin Diesel, Paul Walker, Michelle Rodriguez e Jordana Brewster estavam destinados mais em cair no esquecimento do que se tornarem astros de primeira linha, pois a cada um bom filme com algum dos intérpretes liderando o elenco sendo exibido outros cinco para lá de frustrantes eram lançados posteriormente. Só assim para explicar o retorno deles em “Velozes & Furiosos 4” depois de uma primeira sequência contando somente com a presença de Paul Walker e uma segunda situada em Tóquio com Vin Diesel aparecendo em ponta relâmpago no desfecho, ambas péssimas.

Justin Lin, que comandou “Velozes e Furiosos – Desafio em Tóquio”, ao menos aqui conta com um roteiro que justifique este novo encontro, apoiado em um acontecimento fatídico que não merece ser revelado. O que pode ser dito é que Dominic Toretto (Diesel) e sua namorada Letty (Rodriguez) continuam armando seus audaciosos golpes ao comando de carros potentes e que o agente Brian O’Conner (Walker) contará com a colaboração de Toretto na missão de capturar um poderoso traficante de drogas. Ou seja: praticamente a mesma premissa de uma centena de fitas do gênero, com o diferencial dos possantes serem os verdadeiros protagonistas da ação.

É feito para aquele tipo de público não perde nenhuma exposição para contemplar carros tunados e esportivos com modelos quase seminuas posicionadas neles para fotografias e que só sabe falar com os amigos sobre o assunto. Público-alvo mais superficial, impossível. No entanto, o filme original foi uma competente fita de ação e com essa escalação do elenco muitas coisas boas também foram resgatadas, como o bom domínio na arquitetura de cenas com muita adrenalina, embora prejudicadas aqui em algumas circunstâncias pelo uso excessivo de efeitos especiais, a exemplo das perseguições dentro de uma caverna.

Título Original: Fast & Furious
Ano de Produção: 2009
Direção: Justin Lin
Elenco: Vin Diesel, Paul Walker, Michelle Rodriguez, Jordana Brewster, John Ortiz, Laz Alonso, Gal Gadot, Shea Whigham, Jack Conley, Liza Lapira e Greg Cipes

Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

12 Comentários em Resenha Crítica | Velozes e Furiosos 4 (2009)

  1. OI Alex gostei muito desse filme assisti há poucos dias, concordo 100% que o 2 e o 3 foram péssimos!
    Nada compara com o primeiro!!! Mas foi legal ver o quarteto central do 1° filme, reunido novamente, mas pena que quem eu gostava mais, acontece aquilo!!! Mas repito melhor que o 1° não existe.

    Parabéns pelo blog! TE add no msn para converarmos sobre cinema e Friends também okk?
    ME Visite http://momentocine.blogspot.com/
    Vamos trocar link e ideias sobre o mundo do cinema.
    ABRAÇOS

  2. Há muito que eu ando tentando deixar de implicar com essas sequências intermináveis, mas sinceramente (tratando de Velozes e Furiosos) eu não consigo. O primeiro fo legal, o segundo assistível, o terceiro terrível e esse aí eu não passo perto nem de graça.

  3. Ricardo, você está com toda a razão enquanto a este recente exemplar da franquia “Velozes e Furiosos”. É um bom programa, mas não se compara a eficácia da fita original. E que bom que me adicionou no Messenger. Assim que possível espero vê-lo por lá para falarmos bastante sobre cinema. Ah, e “Friends” também! ;-) Estarei adicionando o seu blog na minha lista, pode deixar. Abraços.

    Weiner, também não gosto muito de franquias com muitos capítulos, mas considero este quarto filme mais uma sequência direta da fita original do uma trama com alguma conexão com “+ Velozes + Furiosos” e “Velozes e Furiosos – Desafio em Tóquio”.

    Brenno, que exagero! Mas “+ Velozes + Furiosos” e “Velozes e Furiosos – Desafio em Tóquio” são mesmo bem ruins! Abraços.

  4. Salve, Salve Alex, finalmente de volta ao convívio virtual, eu achei bonzinho esse 4° filme da saga velozes e furiosos, melhor q o 3, mas inferior aos 2 primeiros, seja bem-vindo de volta! Abs! Diego!

  5. Diego, então espere por uma exibição na tevê aberta.

    Kau, seu desinformado! Abraços.

    Diego, sim, estou de volta. Obrigado pelas boas-vindas. E sabe que eu detesto com todas as minhas forças “+ Velozes + Furiosos”? Ao menos tem a Devon Aoki, que está bem cool. Abraços.

  6. Gosto do primeiro e do terceiro. Acho o segundo um cocô pelo mesmo motivo que acho este muito ruim: é totalmente burocrático. Claro exemplo de filme onde o dinheiro subiu à cabeça e a criatividade foi pro espaço.

    Nota 4.5

  7. Wally, não acho que o filme seja totalmente burocrático. É verdade que este filme veio com a intenção de lucrar (afinal, as sequências existem mais para conseguir dinheiro e menos para satisfazer o público que gostou da obra original), mas não é de todo descartável.

  8. Mayara, eu como não sou nada fã de veículos (nem carteira de motorista eu tenho interesse de tirar, rs) acredito que o filme valeu por mais outras coisas do que propriamente os carros tunados. Beijos.

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: