Skip to content

Resenha Crítica | Salve Geral (2009)

Salve GeralAssim como ocorrido em “Última Parada 174”, de Bruno Barreto, “Salve Geral”, o mais recente longa-metragem de Sérgio Rezende (“O Homem da Capa Preta”, “Zuzu Angel”), acabou sendo massacrado pela crítica e público brasileiro por ser anunciado pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura como o filme a representar o Brasil no Oscar 2010. Entre os outros pré-finalistas que também concorriam a essa chance estavam “Besouro”, “Budapeste”, “O Contador de Histórias”, “Feliz Natal”, “A Festa da Menina Morta”, “Jean Charles”, “O Menino da Porteira“, “Se Nada Mais Der Certo” e “Síndrome de Pinnochio – Refluxo”.

A razão pela elaboração do massacre verbal é uma só: “Salve Geral” é mais um produto audiovisual a exportar a violência presente no cotidiano brasileiro. Mas não é bem por aí. A verdade é que o espectador ainda esta convicto de que a nossa indústria de cinema prossegue com relatos ficcionais sobre a sórdida situação que sempre tomou a nossa sociedade. O retrato que “Salve Geral” tece sobre os incidentes comandados pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) pode até não se desviar dessa impressão em um primeiro momento. Mas Rezende, com sua ampla experiência como cineasta, conduz o seu projeto para outros caminhos com a tensão que somente ele sabe produzir.

O drama acompanha Lucia (interpretada por Andréa Beltrão), viúva que se muda com o seu filho Rafael (Lee Thalor) para um bairro modesto de São Paulo por causa da grana curta. Se as aulas de piano que realiza já não são um problema pela falta de alunos as coisas em sua vida se agravam quando o seu filho é preso por cometer um assassinato após uma confusão que se envolveu em um racha. “Minha vida foi destruída em quinze segundos”, diz Rafa na prisão em uma das visitas que Lucia faz.

Como boa mãe, claro, resta a Lucia fazer tudo ao seu alcance para garantir a liberdade de seu filho ou ao menos reduzir a sua pena. Mas as decisões que comete são arriscadas. Mesmo formada em Direito ela nunca exerceu a carreira, tendo que contar com os auxílios da advogada de porta de cadeia Ruiva (Denise Weinberg, em forte desempenho). No entanto, Ruiva está ligada ao PCC, fornecendo as mais diversas informações a alguns líderes e integrantes do partido reclusos na mesma penitenciária que Rafa. Não tenho outra escolha para libertar o seu filho, Lucia se envolve nestas conspirações de presidiários contra as autoridades e com um amor bandido, o Professor (Bruno Perillo).

O que “Salve Geral” realiza é a fusão dessa premissa fictícia com “O Dia em que São Paulo Parou”. Neste caso, se trata do Dia das Mães do ano de 2006, onde presos provocaram o terror na capital paulista ao receberem indulto. O resultado concebido pela facção criminosa foi catastrófico: ônibus incendiados, bancos e comércios de cada bairro paulistano destruídos e a morte de dezenas de pessoas. Este acontecimento é registrado com precisão pelas câmeras de Rezende através do caos provocado na data comemorativa e o deserto que se tornou São Paulo no dia posterior aos ataques. Mas o que se destaca é a luta de uma mãe pelo seu filho no centro deste pânico. A dor de Lucia é a mesma de tantas mães certamente sentiram naquele dia de horror. E isto é o que diferencia “Salve Geral” do ingratos comentários.

Título Original: Salve Geral
Ano de Produção: 2009
Direção: Sérgio Rezende
Elenco: Andréa Beltrão, Denise Weinberg, Lee Thalor, Bruno Perillo, Eucir de Souza, Kiko Mascarenhas, Michel Gomes, Giulio Lopes, Guilherme Sant’anna, Julio Cezar e Chris Couto.
Cotação: 4 Stars

20 Comments

  1. Eu sou um dos que massacram. Com ou sem Oscar na parada, é a coisa mais próxima de amadorismo que eu já vi num cinema. Sério, lembro do tal HD e dá vontade de rir.

    Abs!

  2. Me desculpe quem gostou, mas o Brasil errou pela milessima vez em sua escolha!

  3. Bruno, então você deveria ter esperado pelo lançamento em DVD, rs. Eu não acho que seja um trabalho amador. E o personagem HD é um grande exagero, mas vai dizer que você não tem friend mala que emenda english com português! :D Abraços!

    Cleber, não julgar o filme pelo Oscar, por favor!

  4. haha cara, tenho amigos bem afetados, mas esse HD é coisa pra ser cultuada por gerações.

  5. A verdade, Alex, é que faltou coragem à “Salve Geral!”. O filme se sustenta somente por causa da dupla Andrea Beltrão e Denise Weinberg!

  6. Por isso nem vou assistir, não gosto dessa violência em filmes brasileiros, logo…logo, veremos filmes sobre a guerra do Rio de Janeiro, polícia x polícia, etc. Prefiro um Central do Brasil, Lisbela e o prisioneiro etc.
    Mas acho que o filme tem o seu valor, pois é até reconhecido, senão estaria representando o Brasil no Oscar!
    Serio mas olha só : Cidade de Deus, Tropa de Elite, Última parada 174…Salve Geral. Qual será o próximo cultuado filme?!

    ABRAÇO e desculpe pela crítica!

  7. Alex, estou do seu lado. Achei esse filme muito bom. Não é apenas mais um a transportar a violência urbana para as telas, como fez o Última Parada 174. Salve Geral vai um pouco além. É um grande filme. Ainda assim acho que a indicação deveria ser de Jean Charles.

    Abraços!

  8. Marcelo Coldfer Marcelo Coldfer

    eu ainda vou ver esse filme mas já sabendo que minha nota pra ele não irá ultrapassar em 6. Toda vez que o Brasil conta essas histórias chove gente esteriotipada nas telas querendo dar uma impressão de cinema-verdade.
    Jean Charles e Feliz Natal eram os meus preferidos e os que mais poderiam estara no “conceito” dos americanos.

  9. Bruno, eu também conheço pessoas bem afetadas. Mais do que o HD. :D

    Kamila, eu não acho que tenha faltado coragem em “Salve Geral”, pois acredito que o filme cumpriu a sua proposta dentro dessa mistura de ficção e realidade.

    Ricardo, acredito que você esteja sendo muito radical. Quero dizer, a violência é algo muito preocupante em nosso país, assim como todo o sistema penitenciário. Assim, muitos diretores encontram nesta realidade inspiração para reprodurizem isto na tela. Algo que qualquer outro diretor de qualquer outro país certamente fazem. Mas como disse em meu texto, “Salve Geral” provoca essa impressão de se tratar de um filme sobre a nossa violência, mas é, na verdade, o filme do amor de uma mãe pelo seu filho dentro deste cenário. Abraço.

    Ciro, que bom que concorda. Também estou com você em relação de “Última Parada 174”, mas o acho um bom filme. E sobre “Jean Charles”… bem, ainda preciso assisti-lo. Abraços.

    Marcelo, acho que você está se precipitando. O que Rezende faz aqui não é dar essa impressão. Pode-se dizer que o que ele faz aqui é o mesmo realizado em “Zuzu Angel”, com o diferencial de que aquele filme se passa nos tempos da Ditadura Militar e este em 2006.

  10. é certo que o filme trata daquilo que já é de conhecimento de todos, mas acho que Denise Weinberg é a única que salva o filme da mesmice, não que o longa seja muuuito ruim, mas sinceramente não é o que eu esperava para um pré-indicado ao Oscar. Minha torcida era por ‘A deriva’, mas parece que nem estava entre os 10 pré-selecionados, uma pena.

  11. Luis, o filme não é um primor (pelo menos em todos os aspectos), mas acredito que ele mereceu essa chance de representar o nosso país no Oscar. Não que eu tenha visto todos os pré-selecionados, mas não haviam tantos títulos interessantes assim ao ponto do pessoal receber com tanta fúria este “Salve Geral”. E “À Deriva” não foi considerado, mas acredito que seja pela razão do Heitor Dhalia não tê-lo considerdo a disputar a chance.

  12. Estava desanimando com este filme, mas você me motivou a guardar alguma espécie de esperança. Beltrão, por sua vez, é sempre ótima!

  13. Sua crítica é a mais positiva q li, depois de ler muitos comentários de gente metendo o pau nesse filme, q deixarei pra ver mais pra frente, no cinema, sem chance!
    Abs! Diego!

  14. Brenno, eu também.

    Wally, os comentários negativos em relação ao filme são bem exagerados. Assista, é muito bom.

    Diego, como assim sem chance no cinema? Não que seja o seu caso, mas há tanta gente que deixa de apreciar um filme do nosso cinema em troca de uma porcaria americana… O filme vale o ingresso. Assista no Projeta Brasil! Abraços.

  15. Pena Pena

    É uma pena que o filme que retratava os herois da Rota não teve apoio nenhum e o filme que trata bandido como heroi teve até indicação ao oscar é lamentavel !!! Viva os Herois da ROTA!!!

  16. KEYLA KEYLA

    EU AMEI O FILME.

  17. Alex Gonçalves Alex Gonçalves

    – Pena, não acho que “Salve Geral” seja um filme que trate bandidos como heróis, como acontece em “Carandiru”. E eu ainda não vi “Rota”.

    – Keyla, eu também!

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: