Skip to content

As Bem-Armadas

As Bem-Armadas | The Heat

Após dirigir “Missão Madrinha de Casamento“, aquela que pode ser considerada a melhor comédia americana dos últimos anos, Paul Feig possivelmente se tornou um alvo de questionamentos. Afinal, seria ele capaz de conduzir um projeto tão bem-sucedido quanto o filme que arrebatou duas indicações ao Oscar? Mesmo que seu novo filme não deixe de ser uma comédia, “As Bem-Armadas” não deixa de representar uma aposta arriscada.

Sucessos da comédia policial, “48 Horas”, “A Hora do Rush” e “Bad Boys” apresentaram com eficiência a velha história de uma dupla de agentes da lei que não têm qualquer sintonia devido as diferenças de personalidades. É para esses filmes que “As Bem-Armadas” presta homenagem, mas um detalhe chama a atenção: estamos diante de uma rara ocasião em que são justamente as mulheres a tomarem frente de uma investigação.

A história tem um ponto de partida que já garante boas risadas, senão gargalhadas. Interpretadas respectivamente por Sandra Bullock e Melissa McCarthy, Sarah Ashburn e Shannon Mullins são as protagonistas que inevitavelmente terão de se unirem para cumprirem um objetivo em comum. No entanto, a roteirista Katie Dippold deixa bem claro o quão diferentes elas são. Sarah Ashburn é a típica agente burocrática do FBI de olho em uma promoção em seu departamento. Porém, para conquistá-la, Sarah deverá atrair a a atenção do seu chefe Hale (Demian Bichir, que recebeu uma indicação ao Oscar por “Uma Vida Melhor“), que a convoca para lidar com a captura de um traficante de drogas em Boston.

Mesmo sendo um lugar estranho para a meticulosa Sarah, Boston é um cenário perfeito para Shannon Mullins dominar. Afinal, essa policial aborda os criminosos sem nenhuma sutileza e o fato de não ter papas na língua é adequado para se comunicar em um cenário tomado pela violência. Embora cheguem a sair na mão ao se conhecerem, Ashburn e Mullings logo identificarão que dependem uma da outra para encerrarem o caso que pode botar suas vidas em risco: Ashburn tem todas as informações necessárias enquanto Mullings sabe exatamente para onde ir e como agir.

Como o esperado, as protagonistas de “As Bem-Armadas” logo notarão que por trás de tanta pose há duas mulheres que encontram em seus caracteres incorruptíveis e a vida solitária que levam em troca de uma profissão de risco as principais características que a tornam tão próximas e, consequentemente, suportáveis uma diante da outra. É o necessário para efetivar o humor originado nas interações entre Ashburn e Mullins, que se metem em poucas e boas para conseguirem encontrar Larkin, o responsável por este submundo das drogas que condena Boston.

Ainda que tudo esteja em seu devido lugar, é inevitável não chegar a conclusão de que “As Bem-Armadas” é aquele tipo de filme que depende de boas intérpretes para que tudo funcione. Portanto, são Sandra Bullock e Melissa McCarthy as verdadeiras donas do show e aquelas que devem receber a maior parte das honrarias pelo sucesso de “As Bem-Armadas”. As duas atrizes são exemplares ao lidar com humor físico e mostram uma sensibilidade sem igual em papéis essencialmente cômicos. São, enfim, duas comediantes plenamente conscientes do que estão fazendo em cena e que transformam “As Bem-Armadas” em um dos filmes mais divertidos do ano.

The Heat, 2013 | Dirigido por Paul Feig | Roteiro de Katie Dippold | Elenco: Sandra Bullock, Melissa McCarthy, Demian Bichir, Marlon Wayans, Michael Rapaport, Jane Curtin, Spoken Reasons, Dan Bakkedahl, Taran Killam, Michael McDonald, Thomas F. Wilson, Tony Hale, Kaitlin Olson, Adam Ray, Joey McIntyre, Michael Tucci, Bill Burr, Nate Corddry, Jessica Chaffin, Jamie Denbo, Ben Falcone e Paul Feig | Distribuidora: Fox

Be First to Comment

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: