Skip to content

Resenha Crítica | Um Estranho no Lago (2013)

Um Estranho no Lago | L’Inconnu Du Lac

Desempregado, o jovem Franck (Pierre Deladonchamps) parece não ter muito o que fazer durante o verão francês. Visualiza em um lago no meio do nada não apenas um espaço para ocupar o tempo, mas também uma espécie de paraíso que possivelmente sempre idealizou.  Estamos aqui acompanhando um homossexual totalmente desligado das responsabilidades mundanas acompanhados de nudistas também gays em busca de sexo sem compromisso.

Apenas de não haver falta de opções para saciar os seus desejos sexuais mais íntimos, Franck contempla Michel (Christophe Paou) como o único homem capaz de atendê-los. Assim como Franck, Michel é um novato no lago. Moreno, mais maduro, forte e com bigode, Michel é um estranho do qual Franck está disposto a tudo para se relacionar, ainda ele já tenha um parceiro.

Lenhador introspectivo e acima do peso, Henri (Patrick d’Assumção) será o habitante do lago que se tornará amigo de Franck ao ponto de ouvir todas as suas confissões. Embora não seja homossexual, há algo no ambiente quase paradisíaco que o faz acalentar alguns dramas particulares compartilhados com Franck nem sempre com clareza.

Em seu sexto longa-metragem para cinema, Alain Guiraudie, que arrebatou o prêmio de Melhor Direção em Cannes na Mostra Um Certo Olhar, conduz muitas sequências de sexo explícito, em sua maioria com dublês de corpo. Há todo o momento a tela é invadida por transas praticadas sem o uso de preservativos, algumas com direito a um voyeur que se masturba enquanto elas acontecem.

Há algo além dessa exposição física em “Um Estranho no Lago” e o que falta é um direcionamento adequado. Primeiro existe uma mudança de tom na narrativa quando ela envereda para o thriller. A escolha em lançar todas as cartas de um mistério em potencial não se mostra bem-sucedida porque Guiraudie cria o patético inspetor Damroder (Jérôme Chappatte), para investigar um crime cometido por Michel.

“Um Estranho no Lago” também é um drama sobre a solidão o como os indivíduos que buscam evitá-la são capazes de modificar sua própria natureza. É exatamente o que faz Franck ao se entregar nos braços de um homem que pode colocar a sua própria vida em risco. No entanto, o nosso olhar só está concentrado na figura melancólica de Henri, o único a despertar o nosso interesse no que diz respeito ao que ele realmente é fora do lago que serve como único cenário para a trama. Não tivesse esse personagem forte, a celebração em torno de “Um Estranho no Lago” (é o filme do ano para a Cahiers du Cinéma) seria ainda mais equivocada.

L’inconnu du lac, 2013 | Dirigido por Alain Guiraudie | Roteiro de Alain Guiraudie | Elenco: Pierre Deladonchamps, Christophe Paou, Patrick d’Assumçao, Jérôme Chappatte, Mathieu Vervisch, Gilbert Traina, Emmanuel Daumas, Sébastien Badachaoui, Gilles Guérin e François-Renaud Labarthe | Distribuidora: Imovision

Be First to Comment

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: