Resenha Crítica | Assim Que Abro Meus Olhos (2015)

A peine j’ouvre les yeux, de Leyla Bouzid

Enquanto vemos a classe artística se mobilizar com declarações e manifestações contra a candidatura de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos, o descontentamento de outros com as políticas de seus países costumam ser silenciados, especialmente naqueles que compõem o Oriente Médio e a Liga Árabe. Mesmo que a jovem protagonista de “Assim que Abro Meus Olhos”, Farah (Baya Medhaffer), esteja ainda em uma fase de aspirações, o drama em que se envolverá diz muito sobre os perigos da livre manifestação em um ambiente de repressões.

Recém-formada em medicina, Farah no fundo não deseja seguir a profissão, acreditando que a sua vocação está em cantar as próprias letras que compõe sobre a condição da Tunísia em que vive.  Mesmo com a aceitação nos bares por onde passa, Farah precisará enfrentar a rigidez de sua mãe Hayet (Ghalia Benali), que ameaça ignorar a sua existência caso prossiga com as suas apresentações.

Em sua estreia na direção e roteiro de um longa-metragem, Leyla Bouzid faz um registro com data retroativa, ambientando a história no verão de 2010, nas vésperas da Primavera Árabe. Tem, portanto, personagens ficcionais em ponto de ebulição inseridos em um contexto prestes a sofrer uma revolução.

Mesmo expressando todos os anseios desse contexto em músicas que devem muito à atriz Baya Medhaffer pelo envolvimento que provocam, “Assim que Abro Meus Olhos” acaba perdendo a sua potência na abordagem de um relacionamento entre mãe e filha. Há um excesso quase novelesco no modo como Hayet repreende Farah e o ponto de virada acaba tornando o seu perfil inconsistente.

Além do mais, Leyla Bouzid demora para exibir um panorama geral da Tunísia, que poderia tornar a sua realização ainda mais atraente para plateias estrangeiras que desconhecem a realidade que testemunha como cidadã. A brutalidade, por vezes enfatizada com comportamentos machistas, só é de fato explicitada no ato final, causando uma forte impressão que tarda a aparecer.

Data:
Filme:
Assim Que Abro Meus Olhos
Avaliação:
2
Sobre Alex Gonçalves
Editor do Cine Resenhas desde 2007, Alex Gonçalves é estudante de Jornalismo e viciado em música, fotografia, leitura e escrita. Mais informações na página "Sobre".

Be the first to comment

Comente

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers: