Skip to content

Resenha Crítica | O Rio nos Pertence (2013)

O Rio nos Pertence

37ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

Viabilizado pela DAZA, TB Produções e Alumbramento, a Operação Sonia Silk consiste em um pacote com três filmes realizados de modo coletivo e independente, ideais defendidos pela produtora Belair durante a década de 1970. Por isso mesmo, o caminho seguido é o da experimentação, o do cinema de sensações. Uma linha de produção muito bem-vinda para um circuito que privilegia somente as histórias populares se o resultado não fosse tão limitado.

A mesma equipe de “O Uivo da Gaita”, o segundo filme da Operação Sonia Silk (o terceiro, o documentário “Meta Mancia”, ainda está em fase de finalização), se desdobra em “O Rio nos Pertence”. Tanto o diretor de fotografia Ivo Lopes Araújo quanto os montadores Guto Parente e Luis Pretti colaboram para os projetos. Já os intérpretes Leandra Leal, Mariana Ximenes e Jiddu Pinheiro surgem em “O Rio nos Pertence” e “O Uivo da Gaita” assumindo papéis distintos.

Em “O Rio nos Pertence”, o diretor e roteirista Ricardo Pretti envereda pelo suspense com toques de surrealismo ao contar a história de Marina (Leandra Leal), jovem que se desligou de um relacionamento e que revisita fantasmas de um passado traumático ao voltar para o Rio de Janeiro. Reencontra na cidade o ex-namorado Mauro (Jiddu Pinheiro) e a irmã (Mariana Ximenes), com quem tem alguns assuntos mal resolvidos após uma tragédia que as separou.

Apesar das interações tumultuadas de Marina com esses dois personagens, “O Rio nos Pertence” dedica a maior parte de sua curta duração na isolação desta protagonista em um apartamento despido de objetos e presença humana. Marina é aterrorizada por cartões-postais em que se lê “O Rio nos pertence” escrito a sangue, pensamentos suicidas e pesadelos.

Tendo realizado previamente outros filmes pequenos, Ricardo Pretti visualiza no cenário urbano carioca o ambiente perfeito para situar sua história. Quando sai de seu apartamento, Marina vaga solitária em pontos que deveriam ser reconhecidos como movimentados e tropicais. Mesmo oferecendo esta perspectiva pouco usual da cidade para ambientar sua protagonista, “O Rio nos Pertence” provoca apatia. Não há equilíbrio em um filme em que seu fiapo de história se mostra óbvio demais para fomentar as múltiplas possibilidades que ambiciona.

O Rio nos Pertence, 2013 | Dirigido por Ricardo Pretti| Roteiro de Ricardo Pretti| Elenco: Leandra Leal, Jiddu Pinheiro e Mariana Ximenes | Mostra Brasil

3 Comments

  1. Vi sua foto com a Leandra Leal no Facebook e acho-a uma atriz muito boa, sempre com escolhas bem inusitadas. Fiquei curiosa sobre “O Rio nos Pertence”.

  2. […] simultaneamente com o longa-metragem de ficção “O Rio nos Pertence” e o documentário “Meta Mancia” (atualmente em fase de pós-produção), “O Uivo da […]

Follow

Get every new post on this blog delivered to your Inbox.

Join other followers:

%d blogueiros gostam disto: